VÍBORAS NO LITORAL DE SP

Cobras venenosas seguem aparecendo no Litoral Norte e na Baixada: o que fazer em caso de picadas

Ao menos cinco aparições de serpentes peçonhentas foram registradas esse ano em Ubatuba, Caraguatatuba, Bertioga e Santos; recentemente, idosa foi picada em Ubatuba; nos últimos dez dias, foram três aparições de cobras em perímetros urbanos; saiba o que fazer e o que não fazer se em caso de encontrar uma cobra ou de mordedura

Da redaçãoPublicado em 01/05/2021 às 10:16Atualizado há 01/05/2021 às 11:24
 (Cristiano Santos)

(Cristiano Santos)

Apenas neste ano, diversas aparições de serpentes foram registradas nas cidades da Baixada Santista e no Litoral Norte de São Paulo. A mais recente foi nesta sexta-feira (30) em Santos, quando uma jararaca apareceu no Morro do São Bento, deixando a comunidade apreensiva. 

(Cristiano Santos)

Há dez dias, em 21 de março, uma Jararacuçu (Bothrops jararacuçu), serpente com um dos venenos mais mortíferos do Brasil apareceu em Ubatuba, no litoral Norte. Há um mês, também em Ubatuba,  uma idosa de 64 anos visitava o sítio da família quando foi picada por uma jararaca.

Cobra coral que apareceu em Bertioga neste ano (Foto: Reprodução / Redes Socias)

Há uma semana, em Caraguatatuba, no Litoral Norte, uma jararaca foi encontrada dentro de uma sorveteria

Há pouco mais de dois meses, em 28 de fevereiro, uma moradora de Bertioga, na Baixada, deu de cara com uma cobra coral em seu quintal

Víbora da espécie jararaca que apareceu em morro de Santos, há menos de 15 dias (Imagem: Reprodução / Viver no Morro e Região - Santos)

O litoral de São Paulo, região que tem uma das maiores reservas de mata atlântica do país, tem uma fauna e flora invejáveis. No entanto, ocasionalmente, serpentes aparecem em perímetros urbanos, assustando moradores. 

Uma das espécies mais comuns na região é a jararaca, que apareceu hoje em Santos. O veneno da jararaca pode provocar lesões na parte do corpo mordida. Pode haver hemorragia e necrose - as quais, em casos mais severos, podem levar a amputações dos membros afetados.

Saiba o que fazer se der de cara com uma víbora ou se for picado

Especialistas recomendam que não se mate os animais. A maioria das serpentes só ataca quando se sentem ameaçadas. Caso aviste uma serpente, mantenha distância e acione imediatamente os órgãos ambientais de seu município, como a Polícia Ambiental. Em caso de picadas, alguns cuidados são necessários. 

O que fazer e não fazer em caso de picada de cobras

Em caso de picada de serpentes, especialistas recomendam que a vítima procure imediatamente atendimento médico. Caso haja possibilidade, também é recomendável fotografar o animal, isso ajuda na identificação do soro antiofídico adequado.

Em nenhuma hipótese, a pessoa picada pela víbora deve amarrar o membro ferido, pois isso pode complicar a circulação do sangue, causando necrose.

Não chupar o local da picada, após a inoculação é impossível retirar o veneno.

Não colocar pó de café, ervas ou querosene no ferimento, isso pode provocar infecção no local.

Não dar álcool e outras bebidas do gênero ao acidentado, isso pode causar intoxicação

Não cortar o local da picada, o corte pode aumentar o risco de infecção no local, além de poder provocar hemorragia.

 Faça parte do nosso grupo no WhatsApp http://bit.ly/CostaNortesonoticias E receba matérias exclusivas. Fique bem informado! 📲

Assuntos

O Sistema Costa Norte de Comunicação atua no litoral paulista há mais de vinte anos levando informação a toda a população com seriedade e imparcialidade

Entre em contato:

Reclamações ou sugestões:

redacao@costanorte.com.br

Comercial e parcerias:

contato@costanorte.com.br

© 2021 Todos Os Direitos Reservados Ao Sistema Costa Norte de Comunicação

Desenvolvido por

Distribuído por