NAVIO INTERNACIONAL

Marinheiros são diagnosticados com malária no porto de Santos

Tripulantes vieram em embarcações provenientes da Nigéria e da Costa do Marfim; marinheiros estão internados em Santos e são monitorados pela Anvisa

Redação
Publicado em 09/07/2024, às 15h11

FacebookTwitterWhatsApp
A malária é uma doença infecciosa causada por parasita do gênero Plasmodium - Arquivo/PMC
A malária é uma doença infecciosa causada por parasita do gênero Plasmodium - Arquivo/PMC

Em apenas três dias, dois casos de malária foram registrados em tripulantes de navios atracados noporto de Santos, no litoral de São Paulo. O segundo caso, confirmado no domingo (7), foi de um marinheiro do navio graneleiro Common Galaxy, proveniente da Costa do Marfim. O tripulante apresentou sintomas como febre, dores no corpo, dificuldade para respirar e dormência nas mãos; ele desembarcou para tratamento médico e permanece hospitalizado.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a desinfecção da embarcação e a testagem dos demais tripulantes. No entanto, devido às condições climáticas desfavoráveis, a equipe médica não conseguiu embarcar para realizar os procedimentos. A Anvisa também notificou à Autoridade Portuária de Santos (APS), a vigilância epidemiológica municipal e estadual sobre o caso.

Primeiro caso

O primeiro caso de malária foi identificado na quinta-feira (4), em um tripulante filipino, de 27 anos, de um navio com bandeira das ilhas Marshall, ancorado na barra de Santos, no mesmo dia. O navio em questão, Genco Picardy, DUV 29086/2024, partiu da Nigéria, país onde a malária é endêmica, e chegou ao porto de Santos na quinta-feira (4).

Ainda de acordo com a Anvisa, o marinheiro, que apresentava diversos sintomas, foi internado no Hospital Beneficência Portuguesa de Santos. A agência de vigilância sanitária ordenou a testagem de todos os demais tripulantes da embarcação marshalliana.

Navio entrando no porto de Santos
O porto de Santos é principal porto brasileiro, o maior complexo portuário da América Latina e um dos maiores do mundo - Divulgação APS

Malária

A malária é uma doença infecciosa causada por um parasita do gênero Plasmodium, transmitido por mosquitos fêmeas infectados do gênero Anopheles. Os mosquitos são mais ativos ao entardecer e ao amanhecer, podendo também picar durante a noite.

É importante salientar que a malária não é contagiosa, ou seja, a doença não é transmitida diretamente de uma pessoa para outra. A doença também apresenta diversos nomes, como impaludismo, febre intermitente, febre terçã benigna, febre terçã maligna e coloquialmente como "maleita", "sezão", "tremedeira", "batedeira" ou "febre".

Os sintomas mais comuns da malária incluem febre alta, calafrios, tremores, suor e dor de cabeça. Se não for tratada adequadamente, a doença pode evoluir para quadros mais graves e até levar à morte.

Segundo o Ministério da Saúde, todos os indivíduos são suscetíveis à malária. No entanto, aqueles que já tiveram a doença anteriormente podem apresentar imunidade parcial, com poucos ou nenhum sintoma. No Brasil, a maioria dos casos de malária se concentra na região Amazônica.

Acompanhe o Costa Norte no Google Notícias

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!