CORRIDA ELEITORAL

Candidato ou pré-candidato? Entenda como funciona o período pré-eleitoral

Mesmo antes da definição oficial das candidaturas, potenciais candidatos podem iniciar campanha junto ao seu colegiado, mas com algumas restrições

Redação
Publicado em 20/06/2024, às 10h34 - Atualizado às 11h11

FacebookTwitterWhatsApp
Mesmo antes de registro oficial, pré-candidatos podem realizar uma série de ações - Imagem: Reprodução / TRE
Mesmo antes de registro oficial, pré-candidatos podem realizar uma série de ações - Imagem: Reprodução / TRE

Com a aproximação das eleições 2024, marcada para 6 de outubro, o cenário político se intensifica. Começam a surgir nomes e até folhetos e banners com números e frases alusivas a um propenso candidado. Os eleitores, por sua vez, também começam a investigar propostas, partidos e a trajetória de cada político, que almeja comandar a prefeitura ou pleteiar um cargo no legislativo de sua cidade.

Neste período do ano, os possíveis candidatos costuraram sua participação na disputa por meio de pré-candidaturas. Mas, para alguns, fica a dúvida quanto à definição do termo.  Um pré-candidato é um indivíduo que pretende disputar um cargo eletivo, mas cujo registro de candidatura ainda não foi formalizado pela Justiça Eleitoral. A fase de pré-candidatura é destinada à apresentação das intenções tanto aos eleitores quanto ao partido, conforme as normas eleitorais.

Siga o Costa Norte no Whatsapp e receba as principais notícias no litoral de São Paulo

Legalmente permitido, o período pré-eleitoral é quando os potenciais candidatos começam apresentar publicamente suas propostas, construir alianças políticas e obter o apoio popular necessário para viabilizar as candidaturas. É o começo da corrida eleitoral, quando os concorrentes buscam se destacar e ganhar a confiança dos eleitores.

Desde que não peçam votos, os pré-candidatos podem divulgar posicionamentos pessoais sobre questões políticas, inclusive nas redes sociais, realizar prévias partidárias, distribuir material informativo, divulgar os nomes dos filiados que disputarão as vagas e promover debates entre eles. Uma vez definidas as candidaturas, os partidos têm até 15 de agosto para registrá-las na Justiça Eleitoral. 

Veja também:

Segundo informações do TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo), para se candidatar a qualquer cargo eletivo, a pessoa deve comprovar nacionalidade brasileira, alfabetização, pleno exercício dos direitos políticos, alistamento eleitoral, domicílio eleitoral no município em que pretende concorrer há pelo menos seis meses antes do pleito, e filiação partidária aprovada pelo partido no mesmo prazo do domicílio. A idade mínima exigida para candidatos a prefeito é de 21 anos.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!