ORGULHO LGBTQIAP+

Guarujá cria Conselho Municipal da Diversidade Sexual

Conselho Municipal dos Direitos da Diversidade Sexual será composto por dezoito conselheiros do poder público e por representantes da sociedade civil

Redação
Publicado em 10/06/2024, às 10h50 - Atualizado às 11h29

FacebookTwitterWhatsApp
CMDDS de Guarujá contará com comissões de trabalho e colegiado - Hygor Abreu/Prefeitura do Guarujá
CMDDS de Guarujá contará com comissões de trabalho e colegiado - Hygor Abreu/Prefeitura do Guarujá

No mês em que se comemora o Orgulho LGBTQIAP+, a prefeitura do Guarujá anunciou a criação do Conselho Municipal dos Direitos da Diversidade Sexual (CMDDS). O órgão pretende financiar, executar e fiscalizar políticas públicas do município voltadas à população lésbica, gay, bissexual, transexual, queer, intersexual, assexual, pansexual e mais (LGBTQIAP+). A Lei 5.223/2024 foi sancionada pelo prefeito Válter Suman e publicada na edição da quarta-feira (5) do Diário Oficial da cidade.

Confira nosso canal no WhatsApp

Formação

O CMDDS de Guarujá será composto por 18 conselheiros do poder público, entre representantes dos órgãos de saúde, educação, assistência social, cultura, turismo, jurídico, desenvolvimento econômico, segurança pública e direitos humanos. O Conselho contará ainda com 18 representantes da sociedade civil, entre titulares e suplentes. Estes deverão ser indicados por movimentos, coletivos e organização LGBTQIAP+.

Composto por diretoria executiva, constituída por presidente, vice-presidente, primeiro e segundo secretários, eleitos pelos conselheiros titulares, o conselho contará ainda com comissões de trabalho e colegiado. Reuniões mensais serão realizadas pelos participantes. De acordo com Leandro de Azevedo Bittencourt, secretário de Direitos Huamnos e Cidadania, o CMDDS representa “um salto muito importante para a garantia de direitos para a população LGBTQIAP+”. Ele ainda enfatiza que a ação foi pensada após audiência com coletivos ligados à causa.

Origem da data

O Dia Internacional do Orgulho LGBTQIAP+ foi criado em 28 de junho de 1969, quando ocorria uma manifestação contra a violência policial, que a população LGBTQIAP+ de Nova Iorque, nos Estados Unidos, sofria. Nesse dia, os frequentadores do bar Stonewall Inn, famoso por ser um ponto de encontro de homossexuais e transexuais, sofreram uma batida policial. Em sinal de resistência, os clientes ocuparam o lugar, reivindicando seus direitos. A ação ficou conhecida como Revolta de Stonewall e determinou o Dia Internacional do Orgulho.

Com informações do site oficial da prefeitura do Guarujá

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!