CONTAGIOSO

Casos de sarna humana são registrados em escola de Santos

Os alunos e uma professora da UME Emília Maria Reis foram afastados, até que se recuperem da doença; aulas na unidade continuam normalmente

Rodrigo Florentino
Publicado em 26/06/2024, às 11h03 - Atualizado às 11h23

FacebookTwitterWhatsApp
Unidade onde foram confirmados os casos fica na Vila Belmiro - Divulgação/Prefeitura de Santos
Unidade onde foram confirmados os casos fica na Vila Belmiro - Divulgação/Prefeitura de Santos

A UME Emília Maria Reis,  na Vila Belmiro, em Santos, registrou 13 casos confirmados de escabiose, conhecida popularmente como sarna humana. De acordo com informações da prefeitura, 12 alunos e uma funcionária contraíram a doença e foram afastados das atividades escolares até se recuperarem.

O retorno só deve ser feito após a cura da doença,  para a interrupção da transmissão do ácaro paraistia, que ocorre por meio de contato físico. Todos os casos foram encaminhados às policlínicas de referência das moradias dos alunos e da funcionária para o devido tratamento médico.

Aula normal

Ainda de acordo com a prefeitura, há o aval do Departamento de Vigilância em Saúde (Devig) para que as aulas continuem normalmente. O órgão, juntamente com a Secretaria de Educação, segue monitorando eventuais casos suspeitos e novas confirmações da doença para adotar outras medidas caso seja necessário.

Siga o Costa Norte no WhatsApp e receba as principais notícias do litoral de São Paulo

Cuidados

A Secretaria de Educação de Santos disse que a direção da unidade providenciou o reforço da higienização dos espaços e a orientação para que todos realizem a higienização das mãos com álcool em gel disponibilizado na unidade e também a lavagem das mãos com água e sabão. Os pais dos alunos também foram orientados acerca das medidas de higiene, que devem ser adotadas na escola e também em casa.

O que é a doença

A escabiose, ou sarna humana, é uma lesão de pele que provoca coceira intensa do local atingido. Provocada pelo ácaro parasita Sarcoptes Scabiei, a doença é altamente contagiosa e transmitida por contato direto prolongado com a pessoa infectada, roupas ou objetos contaminados. É importante ressaltar que animais não transmitem a sarna humana.

De acordo com Ana Paula Valeiras, diretora da Vigilância em Saúde da prefeitura, a doença é altamente contagiosa mas não é grave. “Se um aluno ou profissional foi à escola com escabiose, o contágio deve ter ocorrido em contato pele a pele, pela roupa ou objetos. Apesar do desconforto, a doença não é grave. Ainda assim, continuamos monitorando e acompanhando a situação de perto”, conta Ana Paula.

Rodrigo Florentino

Rodrigo Florentino

Formação e faculdade: Comunicação Social (Jornalismo) - Universidade Santa Cecília (Unisanta)

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!