São Sebastião

Pesquisa identifica mais de 1,3 mil organismos vivos na Baía do Araçá

Onze espécies identificadas na Baía do Araçá ainda não haviam sido documentadas pela ciência; pesquisa contou com mais de 170 participantes

Estéfani Braz
Publicado em 12/06/2024, às 19h35 - Atualizado às 21h32

FacebookTwitterWhatsApp
Baía do Araçá fica localizada na região central do canal de São Sebastião, no litoral norte. - Acervo/Cecília Amaral
Baía do Araçá fica localizada na região central do canal de São Sebastião, no litoral norte. - Acervo/Cecília Amaral

Um estudo realizado por mais de 170 pesquisadores de 35 instituições de ensino e pesquisa, nacionais e estrangeiras, identificou mais de 1,3 mil espécies na Baía do Araçá, em São Sebastião, no litoral norte. O projeto foi realizado entre 2012 e 2018, mas até hoje novos resultados são publicados em razão da pesquisa. 

O Projeto Temático "Biodiversidade e Funcionamento de um Ecossistema Costeiro Subtropical: subsídios para uma gestão integrada", foi desenvolvido através do financiamento pelo programa Biota da Fapesp e coordenado pela professora Cecília Amaral do Instituto de Biologia da UNICAMP.  Mais de 170 participantes  entre pesquisadores, estudantes e técnicos vinculados a 35 diferentes instituições de ensino e pesquisa,  nacionais e  estrangeiras, além da importante integração destes com a comunidade local participaram do levantamento.

Araçá
Siri azul, parente do caranguejo, é encontrado na Baía do Araçá - Acervo/Gabriel Monteiro

Segundo a pesquisadora responsável, alguns pontos foram levados em conta para que o local fosse escolhido. “Pelo fato da baía estar frequentemente exposta à ação humana, ameaçada  principalmente pela expansão portuária, acúmulo de lixo nas praias, a falta de saneamento básico”. 

Click aqui para seguir nosso canal no WhatsApp.

Um artigo publicado, no último dia 31, na revista “Biota Neotropica” aponta os organismos mais prevalentes na Baía do Araçá. A professora ressalta que a pesquisa identificou mais de 1,3 mil espécies entre invertebrados e vertebrados. “Das quais 817 de invertebrados foram identificadas em seus diferentes grupos taxonômicos por mais de 30 especialistas. As quais incluem espécies de importância econômica como  o molusco bivalve  Anomalocardia brasiliana, conhecido popularmente como Berbigão”. 

Além disso, foram encontradas 225 espécies de anelídeos, 194 de moluscos e 177 crustáceos. O artigo descreve, também, que onze espécies identificadas no Araçá ainda não foram documentadas pela ciência. Oito dessas novas espécies são de anelídeos — animais como as minhocas, importante fonte de alimento para peixes. As outras três são artrópodes.

Amaral ressalta que pesquisas como essas trazem um panorama de como está a sustentabilidade na região. “Estudos como este onde todas atividades e avaliações dos resultados foram realizadas de forma integrada permitem alta qualidade e inestimável valor científico sobre a diversidade biológica e o funcionamento do ambiente”. 

Outros levantamentos continuam sendo realizados na região, como reforça a professora. “Esse resultado ainda deve crescer após a conclusão de estudos em andamento. A partir dos dados obtidos foram discutidas as integrações físicas e biológicas e os serviços ecossistêmicos prestados pela baía”.

De acordo com publicação da agência Bori, os pesquisadores coletaram amostras de diferentes habitats da baía, incluindo manguezais e costões rochosos. Após a coleta, os organismos foram identificados em espécies com base em estudos anteriores e coleções de museus e catalogados em um checklist abrangente sobre a fauna bentônica da baía. O Museu de Diversidade Biológica, do Instituto de Biologia da Unicamp, serviu como um dos principais repositórios de espécimes coletados durante o projeto.

Como fonte de estudo, Cecília reforça que a conservação do ecossistema marinho passa pela educação de crianças e jovens. “Com frequência na Baía do Araçá são desenvolvidos projetos, inclusive de mestrados e doutorados. É importante destacar  também a relevância da baía para  inúmeras escolas públicas e privadas que levam seus estudantes para observar as muitas espécies marinhas de diferentes grupos taxonômicos em seu habitat natural - ambientes únicos! Por isso é conhecida como um laboratório a céu aberto".

Baía do Araçá

A Baía do Araçá é uma pequena enseada, localizada na região central do canal de São Sebastião, no litoral norte, e abriga um dos últimos remanescentes de manguezal do trecho entre Bertioga e Ubatuba. O local está incluído na Área de Proteção Ambiental Estadual do Litoral Norte de São Paulo e na Área de Proteção Ambiental Municipal dos Alcatrazes. 

Um projeto para expansão do porto de São Sebastião gera polêmica desde 2016 devido aos impactos que podem ser causados à Baía do Araçá. Além desse projeto, a proximidade com a malha urbana, com o Porto de São Sebastião, com o Terminal Marítimo Almirante Barroso da Petrobras, e as interferências causadas por ocupações irregulares, esgoto doméstico, são preocupações para os especialistas.

Estéfani Braz

Estéfani Braz

Formada em Comunicação Social na Faculdades Integradas Teresa D'Ávila

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!