NA CADEIA!

Homem é preso por tentativas de estupro e de homicídio contra crianças, no Guarujá

Suspeito é avô de uma das meninas e teria atacado uma delas com uma faca; ocorrência foi registrada na sexta (28), na Vila Zilda

Redação
Publicado em 01/07/2024, às 16h23

FacebookTwitterWhatsApp
Caso ocorreu no bairro Vila Zilda - Foto: Google Street View
Caso ocorreu no bairro Vila Zilda - Foto: Google Street View

Um homem de 48 anos está sendo acusado de tentar estuprar e esfaquear duas crianças, no bairro Vila Zilda, em Guarujá, no litoral de São Paulo. A ocorrência foi registrada na sexta-feira (28), na rua Paulo Agostinho da Silva, e envolve duas meninas,  de 11 e de 9 anos, que teriam sido violentadas pelo vizinho, avô de uma das meninas.

De acordo com o boletim de ocorrência (B.O), ao qual a reportagem teve acesso, uma das vítimas afirma que o suspeito chamou as duas à casa dele e ofereceu balas; ao chegarem no local, o indivíduo aplicou uma gravata nas mesmas (uma em cada braço) e as puxou para o banheiro, onde exigiu que uma das crianças tirasse a roupa.

A vítima negou o pedido do suspeito, que tentou levantar a camisa da menina à força. Em seguida, as duas teriam sido agredidas com socos. Uma das crianças disse ainda que, ao conseguir dar um chute na porta e correr até o portão, que estava trancado, o homem veio em sua direção com uma faca, a empurrou e tentou esfaqueá-la. 

Siga o Costa Norte no WhatsApp e receba as principais notícias do litoral de São Paulo

De acordo com o boletim de ocorrência, neste momento, um vizinho ouviu os gritos das meninas  e foi até o local; ele  conseguiu segurar o suspeito através do portão, quando tomou três facadas no braço. Em seguida, o agressor conseguiu levar a criança de volta para o interior da casa. Com a ajuda de moradores vizinhos, que teriam arrombado o portão, a menina conseguiu sair da residência.

A Polícia Militar foi acionada e prendeu o suspeito em flagrante, por tentativa de estupro de vulnerável e tentativa de homicídio qualificado. A faca usada no crime foi apreendida e encaminhada para a perícia. O caso foi confirmado pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP).

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!