Eterna Nazaré

Renata Sorrah retorna a Santos no espetáculo Preto

Apresentações ocorrem nos dias 2 (21h) e 3 de fevereiro (20h). Os ingressos custam entre R$ 15,00 e R$ 30,00

Da Redação
Publicado em 22/01/2019, às 13h31 - Atualizado em 23/08/2020, às 18h21

FacebookTwitterWhatsApp
Espetáculo Preto traz diálogos sobre racismo e a realidade do negro no Brasil - Divulgação
Espetáculo Preto traz diálogos sobre racismo e a realidade do negro no Brasil - Divulgação

Com direção de Marcio Abreu e atuações de Renata Sorrah, Cássia Damasceno, Felipe Soares, Grace Passô, Nadja Naira e Rodrigo Bolzan, o espetáculo Preto, que participou do último Mirada – Festival Ibero Americano de Artes Cênicas de Santos, retorna à Santos para duas sessões no Teatro Municipal Braz Cubas (2º andar do Centro de Cultura Patrícia Galvão – Av. Senador Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias).

Montada pela Companhia Brasileira de Teatro, a peça mergulha na investigação e na reflexão em torno das diferenças. As apresentações ocorrem nos dias 2, às 21h, e 3 de fevereiro, às 20h. Os ingressos custam R$ 15,00 e R$ 30,00. Informações e vendas no site Ingresso Digital:  https://goo.gl/UpFgrb .

O drama tem início a partir da fala pública de uma mulher negra, em uma espécie de conferência sobre questões que incluem racismo, a realidade do negro e da negra no Brasil de hoje, o afeto e o diálogo, a maneira como lidamos com as diferenças e como cada um se vê numa sociedade marcada pela desigualdade.

A dramaturgia, assinada por Marcio em parceria com Grace Passô e Nadja Naira, começou a ser montada em 2015, durante as diversas residências artísticas realizadas em cidades no Brasil e na Alemanha. A trilha sonora é tocada ao vivo pelo músico Felipe Storino.

Entre as referências básicas que alimentaram o processo de criação estão a obra de Joaquim Nabuco, intelectual e político abolicionista brasileiro que viveu no século 19 entre o Brasil e a Europa, o livro contemporâneo A Crítica da Razão Negra, do professor e cientista político camaronês Achille Mbembe, os escritos de Frantz Fanon, a literatura de Ana Maria Gonçalves e a da poeta e professora Leda Maria Martins, entre outros pensadores.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!