Encontrado painel de azulejo do século passado, em Itanhaém

Costa Norte
Publicado em 02/03/2012, às 09h45 - Atualizado em 23/08/2020, às 13h35

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte

Um painel de azulejo pintado à mão reúne índios, jesuíta e colonizadores no mesmo cenário. A obra – assinada e datada de 1955 – faz alusão ao período colonial do Brasil, e foi encontrada semana passada, pelo diretor de Manutenção e Urbanização da prefeitura de Itanhaém, Paulo Munhoz, na entrada da Garagem Municipal. Para averiguar a autenticidade da obra, a museóloga do Departamento de Cultura, Liliana Di Bella Napolitano, esteve no local e constatou a importância do painel. Liliana descobriu também que o espaço já abrigou, em tempos passados, a Colônia de Férias da Associação Paulista de Belas Artes, nome que deu origem ao atual bairro Belas Artes. Ainda sem identificação do autor, o painel está sendo estudado para possível restauração. Por muitos anos, a obra não esteve em evidência e passou despercebida pelos que passaram pelo local.

Aniversário Munhoz só percebeu a importância do retrato tendo em vista as festividades em comemoração aos 480 anos de fundação de Itanhaém. “Já tinha visto, mas só prestei atenção por causa dos eventos que vem sendo realizado, em seguida, resolvi comunicar o Departamento de Comunicação”, contou.

Artistas A Colônia de Férias da Associação Paulista de Belas Artes, que ficava onde hoje está a Garagem Municipal, foi a grande responsável pelo nome do bairro “Belas Artes”, cujas ruas homenagearam artistas de relevante importância para o país, entre eles: Pedro Américo (1857 – 1941), Rodolfo Amoedo (1850 – 1899), Almeida Junior (1832 – 1899), Victor Meirelles (1832 – 1903), Antonio Parreras (1860 – 1937) e Eliseu Visconti (1866 – 1944), entre outros.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!