Pancadões são alvo de operações de segurança

Costa Norte
Publicado em 25/07/2015, às 06h59 - Atualizado em 23/08/2020, às 14h39

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte

Polícia Militar deve intensificar ações conjuntas nos locais em que são realizados este tipo de evento

Bertioga

Da redação

Durante a última semana, foram realizadas operações conjuntas para coibir as ações delitivas e criminosas nos chamados pancadões ou pistões, nos bairros Jardim Vicente de Carvalho e Jardim Raphael. As intervenções envolveram a Polícia Militar, a Secretaria de Segurança de Bertioga, a Guarda Civil Municipal (GCM) e as diretorias de Trânsito e Transporte e a de Operações Ambientais (DOA).

Os chamados pancadões concentram um grande número de pessoas que promove a perturbação do sossego público, consomem bebidas alcoólicas, drogas e utilizam veículos em som alto.

Nos dias 11 e 20, duas operações de fiscalização no Jardim Vicente de Carvalho detectou veículos com som alto e resultou em 23 veículos multados e um apreendido. Na operação do dia 11, foram autuados pela DOA 11 proprietários de veículos, que estavam com o som acima do permitido. Já no dia 20, foram 12 autuações e um carro apreendido.  Todos os envolvidos foram multados com cinco pontos na carteira e receberam multa equivalente a R$ 127,00.

A intensidade do som é medida por meio de decibelímetro, cujo nível permitido após as 22 horas é 50 decibéis e após a meia-noite 45 decibéis. O Código Brasileiro de Trânsito, por meio da Lei nº 653/00 é que regulamenta essa prática.

O secretário municipal de Segurança, Eduardo Silveira Bello, comentou as ações e afirmou que outras operações serão realizadas: “O resultado da operação foi bastante positivo. Temos recebido reclamações de moradores, que são incomodados com veículos que apresentam o volume de som muito acima do permitido durante os finais de semana. Assim, foi realizado um planejamento em conjunto com a Polícia Militar para que a fiscalização fosse executada”.

O comandante do Comando de Policiamento do Interior (CPI) 6, o coronel Ricardo Ferreira Jesus, aponta que estes eventos prejudicam os direitos das demais pessoas, pois interferem no direito de ir e vir e expõem os cidadãos a inúmeros riscos. Ele foi entrevistado no programa Café da Manhã, da TV Costa Norte – 48UHF, de terça-feira, 21. Ele afirmou: “Há uma série de crimes praticados por estas pessoas e, muitas vezes, sem conhecimento que estas práticas são crimes”. Ele destacou também entre as práticas a venda de bebidas alcoólicas a menores (passível de prisão), a condução de veículos acima da velocidade permitida, entre outras atitudes delituosas.

De acordo com o comandante a intensificação das operações deve-se também ao aumento da adesão, inclusive por parte de moradores de outros municípios: “Pelos relatos que a gente tem hoje dos cidadãos, jovens estão migrando de outras cidades e encontraram aqui um espaço para praticar isso. Então o problema requer uma medida enérgica, a nossa presença e com mais energia nesses locais. Vamos atuar para minimizar este problema”.

A Polícia Militar informou que, na madrugada de terça-feira, 21, foi realizada uma operação no Jardim Raphael para coibir um pancadão, na área do antigo terminal rodoviário.

Uma recomendação feita pelo coronel Ricardo é que os pais atentem para seus filhos, para que não frequentem estes locais. Além disso, reforçou que, nos casos em que a Polícia Militar é recebida com reação violenta, as equipes respondem efetivamente: “Quando somos enfrentados, vamos nos defender com o uso dos equipamentos comprados com o dinheiro público e para proteger a sociedade”.

Segurança

O coronel destaca a importância do apoio da população junto às ações de segurança: “Hoje o combate à criminalidade não é uma responsabilidade exclusiva da Polícia Militar e da Polícia Civil, mas é um desafio para toda a sociedade. Então nós todos juntos, a sociedade civil organizada, com a polícia estando à frente da sociedade como um escudo protetor, nós iremos continuar este importante enfrentamento no país para diminuir as estatísticas criminais”.

De acordo com ele, este papel de apoio da população seria desempenhado, principalmente, fazendo com que as informações cheguem à polícia, como por meio do telefone 190. “Isso é essencial para a eficiência de nosso trabalho”, finaliza o coronel.

Atualmente, toda a região atendida pelo CPI-6 conta com 3.250 homens, sendo que a previsão para a região é de 3.700 homens. De acordo com o coronel a defasagem não é exclusiva da região, mas atinge todo o estado já que, no momento, a proporção de policiais de passagem para a inatividade é muito maior do que os ingressos e a capacidade formadora.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!