Operação destrói rancho de palmiteiros em Bertioga

Costa Norte
Publicado em 06/07/2017, às 14h25 - Atualizado em 23/08/2020, às 16h02

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte
Alertados pelos índios sobre a presença de caçadores e palmiteiros na região da reserva, a equipe do 3º Batalhão de Policiamento Ambiental (BPAmb) e a Guarda Ambiental de Bertioga organizou a operação

Um rancho de palmiteiros foi encontrado e destruído, na tarde de quarta-feira, 5, na terra indígena Guarani Silveira, na divisa com o Parque Estadual da Restinga – Perb. No local havia, também, equipamentos para a produção de palmito em conserva, de forma rudimentar, bem como o produto pronto para ser embalado, sem nenhuma higiene. A operação foi realizada pela Funai (Fundação Nacional do Índio), em conjunto com a 3ª Cia. do 3º Batalhão de Policiamento Ambiental (BPAmb) e a Guarda Ambiental de Bertioga.

Alertados pelos índios sobre a presença de caçadores e palmiteiros na região da reserva, a equipe organizou a operação e, após seis horas de caminhada na mata, a equipe encontrou uma área de cerca de 700 metros totalmente devastada, com corte de palmito-juçara de diversos tamanhos. O técnico indigenista Márcio Alvim destacou que, pela quantidade de plantas derrubadas, é possível que tenha sido produzida uma grande quantidade de palmito em conserva, a estimativa é de 700 a 800 vidros.

No percurso até o local, a equipe também encontrou e destruiu armadilhas de caçadores. Márcio Alvim afirmou que novas ações serão realizadas: “Vamos continuar fazendo essas operações para combater tanto palmiteiros, quanto caçadores, naquela região”. Embora pelas pegadas, os índios tenham constatado que havia a presença de pessoas no local recentemente. Ninguém foi preso e não se sabe o destino do produto.

Foto: Márcio Alvim

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!