2001Segurança12T03

Redação
Publicado em 17/01/2018, às 16h04 - Atualizado em 23/08/2020, às 16h24

FacebookTwitterWhatsApp

Caso Gabrielly: Polícia Civil encerra investigações

O laudo necroscópico apontou lesões no pescoço, como a marca da corda e a fratura do osso hioide

Arquivo Pessoal

A jovem estava desaparecida deste a noite do Ano Novo

Bertioga

Da redação

APolícia Civil concluiu, na manhã da terça-feira, 16, as investigações sobre a morte de Gabriellly Teixeira Oliveira dos Santos, de 20 anos, encontrada enforcada em uma área de mata do bairro Riviera, em Bertioga, na noite de sábado, 6. Embora o laudo necroscópico não aponte uma causa definida para a morte, por causa do avançado estado de decomposição, há evidências de lesão no pescoço, como a marca da corda e a fratura do osso hioide, o que comumente caracteriza morte por asfixia provocada por enforcamento.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Sergio Lemos Nassur, com as lesões apontadas no laudo, além de todos os outros aspectos apurados por sua equipe, é possível afirmar que a jovem tirou a própria vida. "Não há nenhuma evidência que ali tenha havido qualquer outra coisa. Não há crime. Efetivamente, foi uma situação de suicídio, sem que houvesse participação de qualquer pessoa". Inicialmente, a hipótese de homicídio foi cogitada, já que alguns indícios eram incomuns em casos de suicídio: o nó da corda estava para baixo e os pés da jovem tocavam o chão. O fato de não haver o registro do desaparecimento de Gabrielly também levantou suspeitas a respeito da ocorrência. "Surgiu uma suspeita inicial de que a morte pudesse não ter sido decorrente, exclusivamente, de enforcamento, mas foi afastada por conta do curso da investigação", informou Nassur. Durante a apuração dos fatos, foram analisadas imagens das câmeras de monitoramento do bairro. Em uma delas, é possível ver que Gabrielly sai do carro em direção ao local onde seu corpo foi encontrado. Em outras, o namorado da jovem aparece circulando por pontos do empreendimento, e em depoimento, ele informa que estava à procura da moça. Também foram ouvidas testemunhas, como o recepcionista do hotel onde o casal estava hospedado. "Laudo recebido hoje só veio sacramentar essa conclusão em que a investigação chegou. Não há dúvida de que, de fato, crime algum aconteceu", finalizou o delegado.

Entenda o caso

O corpo de Gabrielly foi encontrado na Alameda do Remo, na Riviera, por volta das 19 horas de sábado, com sinais de enforcamento, pois havia uma corda amarrada ao pescoço e a um galho de árvore. Com a identificação da jovem, a polícia descobriu que ela veio ao bairro acompanhada do namorado para uma festa de Ano Novo, para a qual o rapaz foi contratado como DJ. Ao final da festa, na madrugada do dia 1º, o casal se desentendeu e foi para o hotel onde estavam hospedados. O companheiro da moça foi para o quarto para descansar, e quando retornou, não a encontrou mais. O corpo foi identificado pelas impressões digitais no Instituto Médico Legal (IML) de Santos.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!