Aprovado relatório de João Paulo Papa sobre lei que disciplina sinalização náutica

Costa Norte
Publicado em 13/08/2015, às 06h38 - Atualizado em 23/08/2020, às 14h41

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte

A Comissão de Viação aprovou, na quarta-feira, 12, o relatório do deputado federal João Paulo Papa (PSDB-SP), referente ao projeto de lei de autoria do deputado Fernando Jordão (PMDB-RJ), ex-prefeito de Angra dos Reis, que disciplina a sinalização náutica em todo o território nacional. De acordo com a nova redação, caberá aos municípios, com orientação da Marinha do Brasil, a responsabilidade pela demarcação de entrada e saída de embarcações em áreas delimitadas.

Para elaborar o relatório, Papa colheu sugestões do comando da Marinha do Brasil e da Capitania dos Portos. Também ouviu gestores públicos e pessoas envolvidas com atividades náuticas em todo o país.

Segundo o parlamentar, a peça precisava de adaptações para alcançar os objetivos previstos. Ele explica na justificativa: “A primeira delas é a definição da responsabilidade pela sinalização e balizamento. Mesmo compreendendo as limitações de recursos impostas aos municípios, entendo que não há como não atribuir esta responsabilidade ao poder público local, ainda que com o apoio técnico da Marinha do Brasil”.

Ele observa que passar esta obrigação às cidades não acarretará em dificuldades. “Pelo contrário, com esta lei, todos sairão ganhando, principalmente as cidades, pois ela vai gerar segurança aos banhistas e usuários de embarcações, o que pode ser um indutor para o turismo náutico”.

A outra questão diz respeito à abrangência da lei. O deputado observa que a preocupação com os riscos da utilização do mesmo espaço por banhistas e embarcações motorizadas não pode ficar restrita às praias ou marinas. “O encontro de banhistas e usuários de embarcações motorizadas ocorre também em represas, lagos e outros corpos d´água”.

Papa citou ainda alguns casos emblemáticos que reafirmam a importância de uma legislação clara a respeito do tema. “Há registros de acidentes em todo o país, sendo emblemático o atropelamento de Grazielly Almeida Lames, em fevereiro de 2012 na praia de Bertioga, localizada na Baixada Santista. A menina de três anos foi atingida por uma moto-aquática na faixa de areia”, recordou, para lembrar o crescente número de embarcações motorizadas no país. “Uma análise do cenário paulista oferece a dimensão desse crescimento. No período entre 2000 e 2012, a frota de motos-aquáticas cresceu 52,7%, significando que duas embarcações desse tipo são compradas a cada dia em São Paulo”.

O deputado Fernando Jordão ficou satisfeito com o relatório feito por Papa. “É importante tratar de um assunto desta relevância com um parlamentar que já governou uma cidade como Santos e viveu essa experiência. Tudo que for para melhorar o projeto, estarei de acordo, pois o nosso objetivo é oferecer segurança ao cidadão”.

Agora, o texto segue para análise da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados e, depois, para apreciação do Plenário.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!