Voos comerciais podem começar em 180 dias no Aeroporto de Itanhaém

Costa Norte
Publicado em 13/05/2011, às 15h54 - Atualizado em 23/08/2020, às 13h12

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte

Empresas aéreas demonstram claro interesse de levar voos comerciais para o Aeroporto Regional Dr. Antônio Ribeiro Nogueira Júnior, de Itanhaém. A informação foi divulgada durante reunião com representantes da Abetar (Associação Brasileira das Empresas de Transporte Aéreo) e do IV Comar (Comando Aéreo Regional), com o prefeito João Carlos Forssell (PSDB), realizada quarta-feira (11) no Paço Municipal Anchieta.

Representantes da empresa Trip sinalizam com a possibilidade de iniciar voos comerciais no aeroporto itanhaense dentro de 180 dias, desde que sejam feitas as adequações necessárias em sua infraestrutura.

Rota do petróleo

O presidente da Abetar, Apóstolo Lázaro Chryssafidis, o Lack, ressaltou o potencial que a cidade representa, por já servir como ponto de base para a Petrobras. “As empresas Trip e Passaredo já manifestaram interesse em participar de uma eventual implantação de voos comerciais. Acho que é coerente colocar Itanhaém na chamada rota do petróleo. E o aeroporto tem uma característica regional, pois poderia concentrar as operações aéreas da Baixada Santista”.

Intervenções

O gerente da Trip, Ronaldo Veras, explicou que a empresa acabou de implantar operações aéreas ligando Macaé (RJ) com São José dos Campos (SP).  “A nossa intenção é colocar Itanhaém nesse circuito. Mas para isso será preciso fazer algumas pequenas ações na brigada de incêndio e em outros setores no aeroporto. São intervenções bem simples, que o órgão responsável, no caso, o Daesp [Departamento Aeroviário do Estado de SP], certamente irá providenciar no tempo exato”.

Centro de negócios

O prefeito reafirmou a disposição de criar um centro especial de negócios voltados para a prestação de serviços, com 2 milhões de m². Um dos espaços que está em estudo fica no Suarão. A proposta consiste em seguir um padrão semelhante ao adotado pelo município de Rio das Ostras (RJ), que criou uma zona especial de negócios para atender o setor ligado ao petróleo e gás. “Somos a cidade da Baixada Santista com o maior número de áreas livres para crescimento urbano. Mas isso precisa ser bem planejado para que não ocorram impactos negativos no futuro”, disse Forssell.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!