Reforma do paço municipal trará melhores condições para funcionários e público

Redação
Publicado em 18/01/2018, às 11h39 - Atualizado em 23/08/2020, às 16h19

FacebookTwitterWhatsApp
Soluções possíveis foram discutidas em reunião realizada na sede da Secretaria de Planejamento Urbano, Obras e Habitação - Cláudio Rodrigues / PMI
Soluções possíveis foram discutidas em reunião realizada na sede da Secretaria de Planejamento Urbano, Obras e Habitação - Cláudio Rodrigues / PMI

Obras devem começar até o final deste semestre e preveem instalação de película redutora de calor e sombreamento do prédio

 Definidos os últimos detalhes do projeto de sustentabilidade do prédio que abriga a prefeitura de Ilhabela, entregue em 2016, mas que apresenta excesso de calor e de luminosidade, além de provocar acidentes com pássaros que batem nas fachadas em vidro. As soluções possíveis efetivadas em reunião realizada na sede da Secretaria de Planejamento Urbano, Obras e Habitação, no paço municipal, no Perequê,  na tarde da quarta-feira, 17. Na ocasião, estavam presentes o secretário da pasta, Luiz Paladino, a vereadora Maria Salete Magalhães, a arquiteta e urbanista Adriana Noya, e representantes da empresas Valeflex e Agrotexas.

O prefeito Márcio Tenório disse que este é o primeiro projeto que prevê sustentabilidade aos prédios públicos: “A ideia é melhorar as condições do prédio para os servidores, que sofrem com os problemas da inadequação do espaço público. Oferecer condições de trabalho adequadas aos funcionários que trabalham no paço e à população que transita pelas secretarias, órgãos públicos e pelo auditório, é o nosso dever”.

O secretário de Planejamento Urbano, Obras e Habitação Luiz Paladino explicou que a proposta do projeto sustentável, a médio e longo prazo, é a que causa menos impacto ambiental, porque resfria a edificação e garante sombra. “Vamos, em breve, ajustar os processos licitatórios para começar a obra até o fim do primeiro semestre. Trata-se de um investimento para os próximos 30 anos. Fazer obra é fácil, difícil é planejar. E isso nós estamos fazendo”.

O projeto objetiva melhorar as condições de trabalho e de atendimento à população, ao solucionar os problemas do prédio. Os estudos dos arquitetos e urbanistas apontam que a construção com blocos de vidro oferece alguns problemas graves, que prejudicam o trabalho dos servidores e o atendimento à população, como excesso de calor e de claridade, ausência de paisagismo ao redor dos blocos, que causa acidentes com pássaros, e falta de cobertura no piso superior, entre outros.

De acordo com os profissionais da área, a solução encontrada para o conforto térmico e luminoso prevê a instalação de película redutora de calor e sombreamento do prédio com jardins verticais próximos ao vidro, e arborização no exterior da construção, além de instalação de cobertura retrátil, conhecida como “abre e fecha” no corredor do piso superior.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!