Mourão atribui crescimento de Praia Grande ao planejamento

Costa Norte
Publicado em 18/01/2017, às 11h53 - Atualizado em 23/08/2020, às 15h46

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte

Foto: Divulgação/PMPG

Praia Grande

Na quinta-feira, 19, Praia Grande comemora seus 50 anos de emancipação político-administrativa. Para comentar o desenvolvimento do município nos últimos anos, o programa Alô Bertioga, da Rádio Praia FM – 106,1, entrevistou o prefeito Alberto Mourão, eleito pela quinta vez para comandar a cidade.

Para ele, o desenvolvimento da cidade deve ser atribuído, principalmente, ao trabalho de planejamento em longo prazo. Ele explica que, muito além de buscar um governo que deixe sua marca, é necessário seguir o que já foi planejado anteriormente. “Quem fizer mais o que está planejado é que vai ser reconhecido. As pessoas ficam mudando ou tentando fazer de forma empírica, e não se faz governo de forma empírica, não dá para ser, de forma aleatória, aloprada, a gente faz é com técnica”.

Mourão destaca ter tido sorte de voltar ao Executivo agora pela quinta vez e poder implantar grande parte do que havia sido estabelecido junto à sociedade com os planos de macrodrenagem, sistema de mobilidade urbana, novo plano de uso e ocupação de solo, além do Plano Diretor. Ele critica: “O Brasil não está entrando no eixo porque cada um quer deixar a marca, e a grande marca, e transformação, é a consolidação de uma cidade”.

Uma das maiores consolidações do governo Mourão trata dos chamados farofeiros. Conforme detalhou, sua primeira medida em 93 foi coibir o turismo descontrolado de um dia com a proibição do estacionamento de frente à praia.

A medida impulsionou a hospedagem no município, de forma a alavancar o turismo e ordenar a cidade. O prefeito lembra: “Ele [o turista de um dia] fazia suas necessidades fisiológicas na areia da praia, entrava nas casas para tomar banho, enfim, prejudicava a sociedade e o direito do outro”. Apesar da proibição, o estacionamento para deficientes e viaturas oficiais foi mantido. Por isso, ele destaca a importância do gerenciamento de conflitos de convivência social que, se for omisso, alguém sempre sairá prejudicado.

A ocupação da cidade também foi outro ponto destacado na entrevista. Para ele, uma das formas de combater as invasões é fornecer uma melhor infraestrutura aos moradores, mas isso resulta do planejamento de prioridades e trabalho conjunto com a sociedade.

Emancipação

A emancipação de Praia Grande ocorreu em 19 de janeiro de 1967, após os moradores iniciarem o movimento, em 1953, de separação de São Vicente devido a problemas como a falta de saneamento, escolas, transporte, hospitais e abastecimento de água e luz.

Segundo informações da prefeitura, atualmente, o município figura entre os de maior taxa de crescimento populacional do Brasil, conforme as últimas estimativas. Em 2010 eram 262.051 habitantes contra cerca de 340 mil este ano, recebendo cerca de 10 mil novos moradores anualmente.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!