Ministério amplia vacinação do HPV a meninos de 11 a 15 anos

Costa Norte
Publicado em 21/06/2017, às 08h57 - Atualizado em 23/08/2020, às 16h01

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte
Medida visa aumentar a cobertura vacinal em adolescentes do sexo masculino. Inclusão do novo grupo equivale a 3,3 milhões de jovens

O Ministério da Saúde anunciou na terça-feira, 20, a ampliação da vacina contra HPV para meninos de 11 a 15 anos incompletos (até 14 anos, 11 meses e 29 dias), no intuito de aumentar a cobertura vacinal. Uma das dificuldades da vacinação que os adolescentes adiram à imunização.

Atualmente, a vacina contra a doença já é disponibilizada em meninos de 12 e 13 anos, sendo que, até 2016, a campanha era focada nas meninas. Segundo a pasta, a inclusão do novo grupo equivale a 3,3 milhões de adolescentes e, a meta deste ano é vacinar 80% do público alvo.

As mudanças incluem a cobertura de homens e mulheres transplantados e pacientes oncológicos em uso de quimioterapia e radioterapia, além de 200 mil crianças e jovens, de ambos os sexos, de 9 a 26 anos vivendo com HIV/Aids.

Para o ministro da Saúde, Ricardo Barros, um dos grandes desafios é a dificuldade de adesão dos adolescentes à vacinação. Disse ele: “Toda imunização na faixa adolescente é baixa, porque ele não se sente na necessidade de cuidar da saúde. Ele está em uma fase da vida que acha que está podendo e que realmente não procura uma unidade de saúde. Então, se os pais não forem muito determinados em levá-lo a uma unidade de saúde, ele acaba não comparecendo”.

Barros ressaltou a importância da vacinação é demonstrada nas estatísticas e estudos internacionais que indicam a vacina como agente auxiliador na redução dos casos de câncer genital nessas pessoas imunizadas.

A vacinação de HPV dos adolescentes deve ser aplicada em duas doses, com intervalo de seis meses entre elas. No caso de pessoas com HIV, a faixa etária é mais ampla, de 9 a 26 anos, e o esquema vacinal é de três doses.

Desde 2014, foram imunizadas 5,3 milhões de meninas de 9 a 15 anos com as duas doses da vacina contra o vírus HPV. Esse total corresponde a 45,1% do total dessa faixa etária.

Vacinas a vencer

O ministro comentou que a dificuldade da adesão entre os jovens é uma das causas para um elevado índice de vacinas de HPV a vencer -cerca de 2,1 mil doses nos estados e municípios venceram em junho, e em agosto já há um estoque de 231 mil vacinas para vencer. Até 2018, o estoque de vacinas a vencer deve chegar a 1,6 milhão de doses.

O presidente do Conselho Nacional dos Secretários Municipais de Saúde (Conasems), Mauro Junqueira, afirmou que os municípios devem adotar como estratégia para aumentar a adesão da vacinação contra o HPV o acompanhamento diário do estoque e mobilizar a sociedade com as equipes do Programa Saúde da Família.

Uma das ações planejadas para aumentar a cobertura vacinal contra o HPV integra os Ministérios da Saúde e Educação e propõe que os estudantes apresentem, já na matrícula, a caderneta de vacinação, e as escolas comuniquem o sistema de saúde sobre as doses prioritárias.

A vacina contra o HPV contribui para redução da incidência do câncer de colo de útero e vulva nas mulheres. A imunização também previne câncer de pênis, ânus, verrugas genitais, boca e orofaringe.

Foto: Fernando Pereira / SECOM – PMSP

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!