Tratamento

Lolô apresenta melhoras após aplicações de células-tronco

Menina de 4 anos tem mielomeningocele e passa por tratamento no Paraguai

Da Redação
Publicado em 17/07/2019, às 14h01 - Atualizado em 23/08/2020, às 19h49

FacebookTwitterWhatsApp
Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

A pequena Lorena Victoria Camilo Miranda, a Lolô, apresentou melhoras significantes na mobilidade e alimentação após iniciar o tratamento de três aplicações com células-tronco, que se encerrou nesta quarta-feira, 17.

A menina, de apenas 4 anos, possui uma malformação congênita da coluna vertebral chamada mielomeningocele e realizou a 3ª e última aplicação do procedimento realizado na Ciudad Del Este, no Paraguai, na PanAm Stem Cell, uma empresa de medicina regenerativa focada em terapias com células-tronco.

Participe dos nossos grupos ℹ 🕵‍♂Informe-se, denuncie!

Segundo a mãe de Lolô, Maria Carolina Camilo, a garota já apresenta resultados inacreditáveis. "Ela está bem mais ágil, melhorou bastante a mobilidade, a alimentação. Sentimos melhoras também na parte da urina, ela não tem perdido tanto quanto antes, as trocas das fraldas tem sido menos frequentes", explicou.

Lolô usa uma sonda para ajudar na hora de fazer xixi, pois tem bexiga neurogênica, uma disfunção da bexiga, causada por lesão neurológica. Os sintomas incluem incontinência por transbordamento, frequência, urgência, incontinência e retenção.

Além da melhora no quadro urinário, Lolô desenvolveu a cicatrização. Desde que começou a passar por cirurgias na coluna, a pequena sofre com os ferimentos no local. "Ela sempre ficava machucada, às vezes ficava com pus e até sangrava. Agora está bem sequinha e sem ferimentos. Melhorou muito", comemorou a mãe.

Após a primeira aplicação, a família comemorou os primeiros passinhos de Lolô em um  vídeo publicado no Facebook . Nas imagens, ela conseguia descer sozinha do sofá, uma pequena ação impossível sem o início do tratamento. 

A primeira aplicação ocorreu em 25 de março, a segunda em 7 de maio e a terceira neste 17 de julho. "Eles nos passaram um protocolo de três aplicações iniciais para ver como ela iria reagir, pras células funcionarem, pra ver os resultados junto com a terapia. Mas no ano que vem nós vamos de novo porquê ela está reagindo muito bem", disse.

Para conseguir realizar o tratamento internacional, a família mobilizou a cidade em que vive, Bertioga, com diversas campanhas de arrecadação de verba. A página do Facebook  Juntos Pela Lolô  alcançou mais de 2 mil seguidores..

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!