Guarujá oferece área para instalação de Sesc na Cidade

Costa Norte
Publicado em 19/10/2017, às 11h42 - Atualizado em 23/08/2020, às 16h12

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte
Prefeito se reuniu com o presidente da Fecomércio, em São Paulo, na última terça-feira

A prefeitura de Guarujá ofereceu uma área de 162 mil metros quadrados para implantação de uma unidade do Sesc na cidade. A intenção é que o equipamento seja instalado em um espaço com 13 edificações, no antigo Instituto Santa Emília, ao lado da Fundação Casa, no bairro Santo Antônio.

A proposta foi feita pelo prefeito Válter Suman ao presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), Abram Szajman, na terça-feira, 17. O secretário de Cultura de Guarujá Paulo Fiorotto apresentou a Szajman um projeto com detalhes sobre a localização da propriedade e a importância do equipamento para o município.

A documentação apresenta cartas de apoio à instalação do Sesc na cidade já assinadas pela Fundação Casa; Câmara Municipal de Guarujá; Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL); Associação Comercial e Empresarial de Guarujá (Aceg); e Conselho Municipal de Cultura de Guarujá (CMCG). O projeto também demonstrou que, embora as cidades de Bertioga e Santos tenham equipamentos do Sesc, o tempo médio estimado para o guarujaense chegar até essas unidades é de 50 minutos, além do custo do transporte.

Fiorotto ressaltou a demanda de estudantes, docentes, além de comerciantes e comerciários que aprovam a instalação do espaço. "A população flutuante também teria acesso a essa unidade. E o considerável custo de transporte e o dispêndio de tempo até os Sescs que estão na região dificultam o acesso da população guarujaense a esses equipamentos". O projeto será protocolado oficialmente nos próximos dias. Szajman informou que, no momento, a instituição está comprometida com investimentos já firmados, mas que analisará a proposta.

Propriedade

A propriedade é delimitada, de um lado, pelo Morro do Botelho, de outro, pela avenida Adhemar de Barros, e pertenceu à família do conhecido poeta santista Vicente de Carvalho, que também foi advogado, jornalista e político. Sua família lavrou a escritura da área em 1864, permanecendo proprietária até 1947, quando o casarão do local foi doado ao governo do estado e cedido ao município de Guarujá. Uma cláusula obrigava o desenvolvimento de projetos de promoção social, cultural e esportivo para crianças e jovens da cidade.

O governo do estado repassou a propriedade para a antiga Febem, atual Fundação Casa. A área foi cedida em 2012 ao município, por um prazo de 20 anos, podendo ser prorrogado.

Foto: Reprodução/ Internet

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!