Conselho Fiscal

Guarujá é eleito a integrar Rede Paulista de Controladorias

A entidade busca o fortalecimento dos sistemas de controle interno dos municípios

Da Redação
Publicado em 27/03/2018, às 09h10 - Atualizado em 23/08/2020, às 16h38

FacebookTwitterWhatsApp
O encontro em que ocorreu a eleição ocorreu na quinta-feira, 22, com a participação de representantes de 80 cidades paulistas - Divulgação
O encontro em que ocorreu a eleição ocorreu na quinta-feira, 22, com a participação de representantes de 80 cidades paulistas - Divulgação

A Controladoria Geral de Guarujá foi eleita a integrar o Conselho Fiscal da  Rede Paulista de Controladorias (Repac), entidade que busca o fortalecimento dos sistemas de controle interno nos municípios do estado. O encontro em que ocorreu a eleição ocorreu na quinta-feira, 22, com a participação de representantes de 80 cidades paulistas. 

A entidade privada e sem fins lucrativos foi criada com a intenção de promover o intercâmbio de conhecimento e experiências dos órgãos de controle, exercer funções de auditoria, acompanhamento financeiro e contábil, orçamentário, operacional e patrimonial entre as controladorias paulistas.  

O controlador geral de Guarujá, Eduardo Vieira Busch destacou: “Fazer parte deste grupo mostra que todo o nosso trabalho está sendo reconhecido, como já foi sinalizado por diversas vezes pelo Tribunal de Contas. Guarujá, que já vinha ajudando outros municípios a criar suas controladorias, agora fará isso de uma forma mais uniforme, com a ajuda de outros casos de sucesso no estado de São Paulo”.

Durante a reunião também foram eleitos para a diretoria da Repac a Controladoria Geral da cidade de São Paulo para a presidência, os municípios de Santo André e Mogi das Cruzes para as primeiras e segundas vice-presidências, respectivamente, além de Santos, Campinas, Osasco, Guarujá e Indaiatuba para o Conselho Fiscal. O mandato será de um ano.

A Rede Paulista de Controladorias surge com o intuito de unir as Controladorias Municipais do estado de São Paulo, tendo como missão compartilhar conhecimento sobre controle interno e, assim, auxiliar os municípios nos diversos enfrentamentos jurídicos contábeis do dia a dia administrativo. São Paulo tem 645 cidades e grande parte não possui o órgão de controle interno, com funcionários públicos concursados para esta área, tal como é recomendado pelo Tribunal de Contas do Estado.

De acordo com o diretor de Controle Interno de Guarujá, Marco Antonio de Melo, a instalação de uma controladoria serve para dar melhor andamento das políticas públicas, saber a legalidade do que está sendo executado e se os gestores estão trabalhando com responsabilidade. “Isso é um trabalho contínuo, que deve ser visto durante todos os dias do ano. Por isso, a importância de ter um órgão deste dentro de cada prefeitura”. 

A prefeitura de Guarujá explica que a Rede Paulista será uma entidade de direito privado e sem fins lucrativos – um fórum permanente de controle interno da administração pública paulista. O órgão será um impulsionador e auxiliador na criação de controladorias em cidades que não a possuem, de treinamento e compartilhamento de novos sistemas de controle, além de ser um importante elo de boas práticas aplicadas em todo o estado.

 Guarujá faz parte desta iniciativa desde 30 de janeiro de 2018, onde foi assinado o protocolo de intenções do Repac, que também foi seguido pelas controladorias dos municípios de São Bernardo do Campo, São Caetano, Guarulhos, Osasco, Franca, São Carlos, Mogi das Cruzes, Barueri, Cotia, Campinas, Taubaté, São José dos Campos, Indaiatuba, Ubatuba e Santos.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!