Fábrica de gelo é interditada pela Vigilância Sanitária em Juquehy

mayumi
Publicado em 18/01/2018, às 10h17 - Atualizado em 23/08/2020, às 16h31

FacebookTwitterWhatsApp
mayumi
mayumi
As 25 toneladas de gelo encontradas no local estavam prontas para comercialização em pontos de venda e comércios da região

Uma fábrica de gelo localizada no bairro de Juquehy, na costa sul de São Sebastião, foi interditada pela Vigilância Sanitária na última semana. O local já havia sido fechado por irregularidades em agosto do ano passado, no entanto, os problemas não foram sanados.

Desta vez, a equipe da Vigilância Sanitária encontrou no local 25 toneladas de gelo ensacadas e prontas para a comercialização em pontos de venda e comércios da região. Conforme constatado, além da falta das licenças e dos alvarás para o devido funcionamento do espaço, o gelo estava sendo ensacado em embalagens sem procedência.

No ano passado, quando constatadas as irregularidades, a interdição pretendia evitar que o proprietário voltasse a produzir a matéria prima até que todo o processo de licenciamento e de autorização fosse regularizado, explicou a prefeitura.

A diretora da Vigilância em Saúde, Fernanda Paluri, detalhou: “Quando estiveram aqui, em agosto passado, os técnicos fizeram as orientações para as melhorias do espaço e para que fosse dada a entrada com um processo de regularização no nosso setor. Passados quase cinco meses da visita, o proprietário não corrigiu as falhas e o pior, retirou o lacre da câmara frigorífica e das máquinas e voltou a produzir o gelo com problemas”.

Caso o proprietário descumpra a determinação novamente, devido a reincidência, a multa passa a ser diária até a regularização total do espaço, esclareceu a diretoria.

Todo o produto encontrado na câmara frigorífica, mais de quatro mil sacos com cinco quilos cada, foram inutilizados e as embalagens descartadas.

A prefeitura destaca que esta é a segunda ação deste tipo feita pela vigilância nas últimas semanas. Recentemente, uma fábrica de gelo clandestina que utilizava água de cachoeira e furtava energia elétrica foi fechado no sertão de Maresias, também na costa sul. Na ocasião foram descartadas 37 toneladas do produto que também era comercializado e distribuído no comércio da região.

Foto: Luciano Vieira/PMSS

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!