Eleições 2016 terão votos de seis mil presos provisórios e menores infratores

Costa Norte
Publicado em 22/09/2016, às 08h00 - Atualizado em 23/08/2020, às 15h31

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte

Foto: Divulgação/TSE

As eleições deste ano devem contar com um total de 5.973 votos de presos provisórios e adolescentes infratores, pois, podem votar, já que não tiveram os direitos políticos suspensos, ao contrário das pessoas que tiveram condenação definitiva. As 121 seções eleitorais ficarão disponíveis em estabelecimentos prisionais e de cumprimento de medidas socioeducativas de 21 estados.

Apesar do número, ele ainda é pequeno, visto que em 2014, em dados disponíveis pelo Ministério da Justiça, o país contava com mais de 248 mil presos nesta condição. Um dos fatores que contribui para o baixo número de votantes é que são constantes as mudanças de local de detenção, o que impede de votar quem havia se alistado em outra unidade.

O número de presos que votam vem caindo. No ano de 2010, 19 mil presos provisórios, incluindo mesários e funcionários da unidade carcerária participaram da eleição. Número bem inferior nas eleições de 2012, quando o total foi de 8,8 mil presos. Já em 2014, para governador e presidente, o número registrado foi de 9,2 mil detentos.

Estados

São Paulo é o estado com o maior número de presos provisórios e adolescentes infratores que vão votar nas eleições deste ano. Dos 2.809, 1.725 são presos provisórios e 1.080 menores infratores. O Espírito Santo aparece com 840 presos e o Rio Grande do Sul com 430. Já os estados de Alagoas, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Tocantins não irão realizar eleição para os presos e infratores. No Distrito Federal não há eleições para prefeito e vereador.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!