DIG de Santos e Civil de Bertioga investigam roubos nas Casas Bahia

Costa Norte
Publicado em 18/06/2011, às 04h56 - Atualizado em 23/08/2020, às 13h14

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte

A Polícia Civil de Bertioga está trabalhando em conjunto com a DIG (Delegacia de Investigação Geral) de Santos para apurar a autoria de recentes roubos em lojas das Casas Bahia. Três delas, em Bertioga, Praia Grande e Santos, foram roubadas nas últimas semanas e, ao que tudo indica, por uma mesma quadrilha, conforme explica o delegado de Bertioga, José Aparecido Cardia. “É uma quadrilha que conhece a rotina das lojas e as investigações preliminares já dão conta de que não é um crime comum”, informou o delegado, lembrando que pode ser uma quadrilha qualificada, que utiliza linguagem de comunicação em comum.

Em Bertioga

No último dia 04, por volta das 20h, 3 homens que estavam dentro da loja de Bertioga, que fica na av. Anchieta, centro, renderam os funcionários que se preparavam para fechar o estabelecimento. Os ladrões obrigaram os funcionários a colocar as mercadorias em sacolas e caixas. Em seguida, fugiram em dois veículos. O valor total do prejuízo da loja não foi divulgado, mas a polícia adiantou que foi levada grande quantidade de aparelhos eletrônicos, entre eles, notebooks e celulares.

Os funcionários, conforme afirmaram à polícia, não conseguiram visualizar os demais integrantes da quadrilha. Os ladrões que estavam dentro da loja não usavam de artifício para esconder o rosto.

Rádio e câmeras

Segundo o delegado, a polícia já solicitou à empresa Nextel que informe quais rádios operaram no dia e hora dos crimes, prática comum em todos os casos. “Desta forma, vamos identificar o usuário e chegar aos criminosos”, disse Cardia. Além desse procedimento, a polícia já solicitou à diretoria das Casas Bahia as imagens do circuito de segurança. Até a tarde desta quinta-feira (16), entretanto, a loja de Bertioga ainda não havia fornecido as imagens.

Informação

“A Polícia Civil rechaça a informação de que as câmeras existentes na loja estariam inoperantes”, reclamou Cardia, se referindo à informação que teria sido divulgada por um veículo de comunicação. “A pessoa que está divulgando isso será chamada a prestar esclarecimentos a fim de se apurar em que condições essa informação foi transmitida”, completou o delegado.

Receptação

Ainda de acordo com o delegado, a polícia desconfia que exista uma estrutura maior por trás desses roubos, pois foram focados objetos pequenos, mas de considerável valor comercial.

O delegado fez também uma advertência: adquirir produtos roubados é passível de prisão em flagrante e não é admitida fiança. “Nunca se deve comprar aparelhos eletrônicos sem nota fiscal. O barato pode sair caro”.

“Provavelmente, esse tipo de aparelho eletrônico tem receptador certo e estamos checando as denúncias recebidas” Cardia, delegado de Bertioga

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!