Transparência

De autoria do professor Gleivison, projeto de divulgação de dinheiro de multas é arquivado

Após ser aprovado por unanimidade na Câmara Municipal, vereadores Daniel, Elias, Ercílio, Maurício, Reis e Renato mudam de opinião e acatam veto do prefeito

Cláudio Rodrigues
Publicado em 03/09/2020, às 10h02 - Atualizado às 10h15

FacebookTwitterWhatsApp
De acordo com o autor do projeto, o vereador Gleivison Gaspar (MDB), a proposta era simples: link no portal da transparência com informações sobre os valores arrecadados com multas de trânsito e os investimentos realizados com esse dinheiro Gleivison Câmar - Divulgação/CMSS
De acordo com o autor do projeto, o vereador Gleivison Gaspar (MDB), a proposta era simples: link no portal da transparência com informações sobre os valores arrecadados com multas de trânsito e os investimentos realizados com esse dinheiro Gleivison Câmar - Divulgação/CMSS

Um projeto de Lei que pretendia obrigar a prefeitura de São Sebastião a divulgar o destino do dinheiro arrecadado com multas de trânsito, de autoria do professor Gleivison Gaspar (MDB), foi arquivado na última sessão ordinária da Câmara Municipal, na terça-feira, 1º.

Após ser aprovado por unanimidade, os vereadores Daniel, Elias, Ercílio, Maurício, Reis e Renato mudaram de opinião e decidiram acatar o veto do prefeito. Nenhum dos parlamentares justificou o voto.

O projeto teve parecer favorável de todos os procuradores da Câmara Municipal e da comissão de Justiça.

De acordo com o autor do projeto, o vereador Gleivison Gaspar (MDB), a proposta era simples: link no portal da transparência com informações sobre os valores arrecadados com multas de trânsito e os investimentos realizados com esse dinheiro.

“Eles não querem muita transparência. Em 2017 e 2018 compraram botes (embarcações) com dinheiro de multa. Não pode. Por Lei, esse dinheiro é para ser aplicado na educação de trânsito e na malha viária. Infelizmente os vereadores mudaram de opinião e acataram o veto do prefeito”, disse.

Tramitação semelhante teve o projeto do vereador Neto, que obrigaria a prefeitura a divulgar informações sobre obras paralisadas. O projeto também teve aprovação unânime, em junho, mas acabou sendo vetado pelo prefeito.

Na última sessão, apenas oito vereadores declararam voto. O projeto foi arquivado pelos votos de Daniel, Ercílio, Maurício, Reis e Renato.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!