Como evitar que a sua atitude leve a sua empresa a falência

Costa Norte
Publicado em 19/08/2011, às 07h27 - Atualizado em 23/08/2020, às 13h21

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte

Como evitar que a sua atitude leve a sua empresa a falência É bom transformar a sua prática de atividades diárias em retorno para a sua sobrevivência. A paixão faz parte do seu negócio, não adianta apenas dizer que ama isto, até que um dia a sua trajetória prove o contrário. Apenas com a paixão e acreditar no seu negócio não são suficientes o bastante para evitar os erros ingênuos. E será que este é o seu perfil? O seu dia começa e você segue a rotina, não repara que este dia corre e logo chega outro, e você acaba no mesmo lugar, sem perceber quantas oportunidades passaram por falta de iniciativa para executar uma tarefa imposta em seu trabalho. E ao ser perguntado qual será a sua meta, você não tem a mínima ideia de qual seja. Quando o assunto é montar uma rede de contatos, o chamado “networking”, você acha que não precisa dela, afinal, a sua timidez ou o seu negócio não precisa disto e o município depende do turismo. E esses turistas são apenas troca financeira, o contato que eu faço hoje não tem consistência e os mesmos valores de amanhã. Eu sou como o meu município, sazonal, só ganho dinheiro na alta temporada. Como praticar um planejamento se o meu incentivo é a temporada? Planejar pra quê? Se mudanças existem e correr risco já faz parte do negócio. Então, fiquem sabendo, segundo pesquisa do Sebrae/SP, um dos fatores principais para o fechamento das empresas é a falta de disciplina e gestão dos empresários para fazer o seu próprio planejamento. Um dos motivos cruciais é a falta de comprometimento com a empresa, definir prioridades e não envolver as atividades pessoais, a falta de dedicação e, o que é pior, a pura incompetência administrativa. Não descarto alguns fatores externos que colaboram para o fechamento das microempresas, como a estagnação e crise econômica em relação à redução de salários e de baixo poder aquisitivo da classe social. O primeiro passo para esta atitude empreendedora é retirar a viseira e começar a enxergar além das necessidades impostas pela sua imaginação. Abrir a gaveta de ideias e aplicá-las de uma forma consciente e consistente com a razão, e nunca com a emoção. Siga metas e abandone o conceito de ser apenas mais um no mercado. Desenvolva o processo da inovação e faça diferente. Reaja a suas incertezas e percorra o caminho da oportunidade em busca do seu sucesso.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!