Comércio de moluscos bivalves é parcialmente liberado

Costa Norte
Publicado em 20/09/2016, às 14h10 - Atualizado em 23/08/2020, às 15h31

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte

Foto JCN

O comércio e o consumo de moluscos bivalves (ostra, mexilhão, vieira, marisco) originários dos estados de Santa Catarina e do Paraná, além dos cultivados em Cananeia foram liberados pelo Centro de Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo (CVS). Porém, segue proibida, por meio de interdição cautelar nos estabelecimentos, a comercialização dos provenientes das cidades do litoral paulista.

A proibição ocorre em virtude do fenômeno maré vermelha, que é resultado do aumento da floração da microalga Dinophysis acuminata, potencial produtora da toxina.

De acordo com nota técnica emitida pelo CVS, a proibição será mantida “até que novas coletas e análises efetuadas pelos órgãos de Agricultura indiquem a efetiva ausência de contaminação por ficotoxina nessas espécies (de moluscos)”.

A Seção de Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde mantém a postura de interditar, cautelarmente, os estabelecimentos que forem flagrados realizando a comercialização desses produtos. O objetivo é averiguar a procedência e a data de congelamento do produto. Será inutilizado o que não estiver próprio para o consumo.

Denúncias acerca da venda dos moluscos bivalves em Santos devem ser feitas para a Ouvidoria da Saúde, pelo telefone 0800 770 0732 - de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!