Caraguá é gravemente afetada pelas chuvas

Costa Norte
Publicado em 17/03/2017, às 09h23 - Atualizado em 23/08/2020, às 15h52

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte
Prefeito Aguilar Jr. vistoria áreas afetadas pelas chuvas

Em março de 1967, o município de Caraguatatuba sofreu uma catástrofe sem precedentes. Uma tromba d’água inundou o município, arrastando lama vinda da serra e dizimando, oficialmente, 436 pessoas – número que atinge a terrível marca de  3 mil a 4 mil moradores, extraoficialmente.

Na semana que marca o cinquentenário da catástrofe, a cidade foi acometida por intensas chuvas, que desabrigaram diversas famílias e levaram o prefeito Aguilar Jr. a decretar estado de emergência. Com índice pluviométrico de expressivos 249mm, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de São Paulo (Cedec/SP), representada pelo seu diretor Ten Cel PM Anderson Lima de Oliveira, deslocou-se para o município em apoio às ações do Poder Executivo local e realização de vistoria técnica nos locais que enfrentam risco de escorregamento, e seguem sendo monitorados até o fim da previsão de chuvas, na próxima terça-feira, 21.

Inicialmente, as chuvas atingiram os bairros de Olaria, Casa Branca, Gaivotas e Getuba, porém os bairros de Cantagalo e Benfica foram os mais afetados, inclusive com riscos de escorregamentos de terra. Até o momento, o gabinete de crise, composto por diversas secretarias municipais, contabilizou 15 pessoas desabrigadas, sendo que o Centro Desportivo Municipal foi organizado para recebê-las. Outras 25 famílias estão desalojadas e recebem assistência dos órgãos locais. A rodovia dos Tamoios (SP/099) registrou 8 pontos de deslizamentos e ficou interditada por diversas horas.

Em entrevista coletiva à imprensa, realizada no dia 15, o prefeito informou o estado crítico em que se encontrava a cidade, e avisou da necessidade de se decretar estado de emergência, que é caracterizado pela ocorrência de anormalidades como desastres que causam danos e prejuízos, comprometendo a capacidade de resposta do poder público. Nesses casos, o gestor público tem autorização para contratar serviços e maquinários sem licitação, no intuito de agilizar as operações de socorro às vítimas e limpeza da cidade. Ainda dentro da lei, Caraguatatuba poderá receber recursos do estado para essas ações.

Durante a coletiva, o tenente-coronel Lima observou que, diante do enorme volume de chuva, as áreas estão encharcadas e as atenções precisam ser redobradas. “Quem está em situação de risco deve levar em consideração que o bem a ser protegido, agora, é a vida”.  O coronel destacou ainda que, nesse momento, não se deve ficar aguardando que o poder público faça tudo. “Cada um deve fazer a sua parte”.

O capitão Newton Krugyer também falou à imprensa, durante a coletiva.  Lembrou que na madrugada do dia 14, em uma hora, choveu 160 milímetros, o que gerou o caos. Contudo, ele destacou que aliada às chuvas, também esteve a maré alta, o que formou um conjunto de fatores que agravou ainda mais a situação. Dois locais foram interditados na cidade: um condomínio horizontal localizado no início da avenida principal do bairro do Canta Galo e o morro Santo Antonio, que sofreu um grande deslizamento de terra.

Para atender às necessidades de atendimentos e reparos emergenciais, a Secretaria de Gestão Administrativa contratou três máquinas retroescavadeiras, três basculantes, três caminhões pipa, três caminhões carroceria e uma escavadeira hidráulica de 17 toneladas. Todas elas foram contratadas com motorista e combustível por conta do locador.

A prefeitura conseguiu, em parceria com a Dersa e a Serveng, tubos de 1,5 metro de diâmetro, que foram instalados na estrada do bairro Canta Galo para ajudar no escoamento da água. Já as equipes da Secretaria de Educação promoveram a limpeza das unidades escolares, que tiveram as aulas interrompidas, mas que retornaram ao normal na sexta-feira.

A Secretaria de Saúde montou uma força-tarefa para limpeza das unidades de saúde, bem como transporte para médicos e enfermeiros chegarem aos locais de trabalho. Médicos da secretaria também foram encaminhados ao Cemug para atender famílias abrigadas no local.

Segundo a Secretaria de Esportes e Recreação, as atividades nos núcleos esportivos dos bairros Jetuba, Sumaré e o Centro Esportivo Ubaldo Gonçalves (Cemug) foram suspensas. Nos locais, existem equipes em alerta para receber famílias desabrigadas. As atividades devem retornar nesta semana.

Os bairros

No bairro do Canta Galo, fortemente atingido pelo solapamento de parte do morro Santo Antônio, a secretaria enviou retroescavadeiras e caminhões para a retirada de lama e de vegetação que foram arrastadas para as vias. Na região norte, os bairros Jetuba e Residencial Som do Mar ficaram completamente isolados com o alagamento das ruas e da margem da estrada Rio/Santos.

Na região sul, um dos bairros mais atingidos, e que obteve socorro imediato, foi o Morro do Algodão. Nos bairros Perequê Mirim e Gaivotas, a prefeitura também enviou máquinas para drenagem das ruas alagadas e retirada de lama. Na região central, o canal da avenida Brasil transbordou, deixando um rastro de lama que atingiu as residências.  Para socorrer os moradores, funcionários da prefeitura estiveram no local para fazer a limpeza.

As prefeituras de Ubatuba e Ilhabela anunciaram medidas em solidariedade à Caraguatatuba. Por determinação do prefeito de Ubatuba Delcio Sato, o chefe de Governo Jailton Santos mobilizou diversas secretarias que prestaram apoio à cidade vizinha, como arrecadação de produtos e disponibilização de mão de obra e maquinários. A Administração Regional Sul colocou à disposição duas pás carregadeiras, quatro caminhões, um supervisor e seis braçais, que permanecem em prontidão para qualquer emergência nas áreas críticas entre Getuba e Maranduba.  O coordenador da Defesa Civil de Ubatuba Guaraçay dos Santos esteve em contato com o coordenador da Defesa Civil e também vice-prefeito de Caraguatatuba Campos Junior, e colocou a equipe de Ubatuba à disposição para qualquer eventualidade.

Já a prefeitura de Ilhabela iniciou campanha oficial para arrecadação de doações  à Caraguatatuba. As coletas estão sendo realizadas pelo Fundo Social de Solidariedade, que solicita doações de materiais de higiene pessoal, limpeza, colchões, roupas infantis e água. O material pode ser encaminhado para as secretarias municipais, aos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), às igrejas católicas (paróquias) e evangélicas, à empresa Bracar, Caraguá Praia Shopping e Lions Club.

Caraguatatuba

Da redação

Fotos: PMC

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!