PARALISAÇÃO

Caminheiros podem iniciar nova greve no dia 1º de fevereiro

Categoria relata insatisfação em relação ao preço do diesel e às promessas não cumpridas após greve no governo Temer

Da redação
Publicado em 14/01/2021, às 16h38 - Atualizado às 16h39

FacebookTwitterWhatsApp
Replan, refinaria da Petrobras em Paulínia (SP), durante a greve dos caminhoneiros em 2018 Caminheiros podem iniciar nova greve no dia 1º de fevereiro - Rovena Rosa/Agência Brasil
Replan, refinaria da Petrobras em Paulínia (SP), durante a greve dos caminhoneiros em 2018 Caminheiros podem iniciar nova greve no dia 1º de fevereiro - Rovena Rosa/Agência Brasil

A Associação Nacional do Transporte Autônomos do Brasil (ANTB) anunciou que poderá entrar em greve no dia 1º de fevereiro. Segundo o presidente, José Roberto Stringasci, a paralisação pode ser maior do que a realizada no governo Temer, e se dá devido a insatisfação em relação ao preço do diesel e às promessas não cumpridas após a greve de 2018.

Participe dos nossos grupos ➤ http://bit.ly/CostaNorteInforma  📲 Informe-se, denuncie! 🔵

A ANTB representa cerca de 4,5 mil caminhoneiros e anunciou que a pandemia não afetará o movimento. "A pandemia nunca foi problema. A categoria trabalhou para cima e para baixo durante a pandemia. Muitos caminhoneiros ficaram com fome na estrada com os restaurantes fechados, mas nunca parou", afirmou Stringasci à CNN Brasil.

O grande motivador da greve é a alta no preço do diesel. "Esse (diesel) é o principal ponto, porque o sócio majoritário do transporte nacional rodoviário é o combustível (50% a 60% do valor da viagem) Queremos uma mudança na política de preço dos combustíveis", informou.

As outras reivindicações são o preço mínimo de frete, estagnado no Supremo Tribunal Federal (STF), após um recurso do agronegócio, e a implantação do Código Identificador de Operação de Transporte (Ciot), duas conquistas de 2018.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!