BUSCAS EM UBATUBA

Pertences de pescadores desaparecidos em Ubatuba são encontrados no mar

Dupla saiu para pescar na tarde de terça-feira (20) e não retornou; familiares reconhecem redes, tanque de gasolina e outros objetos encontrados no mar

Lenildo Silva
Publicado em 23/06/2023, às 16h47 - Atualizado às 17h10

FacebookTwitterWhatsApp
Os dois pescadores foram ao mar em uma chata de alumínio com motor de 40 HP Pescadores desaparecidos - Reprodução
Os dois pescadores foram ao mar em uma chata de alumínio com motor de 40 HP Pescadores desaparecidos - Reprodução

As buscas pelos dois pescadores desaparecidos há três dias no mar de Ubatuba, litoral norte de São Paulo, continuam nesta sexta-feira (23). O Grupamento de Bombeiros Marítimo (GBMar) descobriu objetos da embarcação e pertences dos pescadores, o que foi bastante significativo. 

Desde o dia 20 de junho, os pescadores Almendes Junior Alves, de 38 anos, e Adriano Camargo, de 41 anos não foram vistos após saírem para pescar no final da tarde daquele dia. Os familiares informaram que eles partiram da praia de Itaguá com destino à Ilha Anchieta e previsão de retorno até a madrugada do dia seguinte.

Buscas seguem nesta quinta-feira (22) Ubatuba: busca por pescadores desaparecidos encontra rede de pesca da embarcação Momento em que bombeiros retiram rede de pesca do barco desaparecido do mar (Comando de Área do GBMar)

Durante as buscas, a equipe do 2° Pelotão de Bombeiros Náutico localizou um tanque de combustível, um balde utilizado para colocar iscas, uma lona azul, uma rede de pesca, um banco de alumínio e uma sacola com cigarros e outros pertences. Os familiares reconheceram estes itens como relativos à embarcação e aos pescadores desaparecidos.

Angústia

Almendes Junior Alves ( à esqueda) e Adriano Camargo (à direita) estão desaparecidos no mar deste terça (20) Pescadores desaparecidos (Reprodução/Arquivo pessoal)

Almir Alves, irmão de Almendes, fez um apelo comovente nas redes sociais enquanto participava das buscas em alto mar. Com a voz carregada de emoção, o também pescador expressou sua angústia e pediu ajuda da comunidade nesta difícil jornada.

Visivelmente abalado, ele compartilhou o peso que esta situação tem causado não apenas para sua família mas também para a família de Adriano. Almir expressou sua determinação em encontrar seu irmão, ressaltando que trazê-los de volta era o mínimo que ele podia fazer.

"Não é mais eu, não tenho mais forças, tiraram minhas duas pernas, tiraram meu irmão. Eu quero achar ele, é o mínimo que eu posso fazer por ele, é trazer eles de volta, cara. Vivo ou morto. Só quero trazer o meu irmão para casa. Só quero trazer e eu peço a Deus", desabafou.

Almir fez um pedido emocionado para que todos orassem e apoiassem a busca, incentivando aqueles que pudessem a falar com os bombeiros e a não desistir. Embora reconheça que o processo possa ser demorado, ele mantém a esperança de que os pescadores sejam encontrados. "Eles vão aparecer, eu tenho certeza de que ele ia fazer o mesmo por mim. Obrigado a todos aí", concluiu.

De acordo com a última atualização do GBMar, até o momento, não há informações sobre o paradeiro da embarcação nem dos pescadores; as buscas serão suspensas ao pôr do sol e retomadas ao nascer do sol de amanhã (24).

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!