Grupo Trapiche apresenta Capitães de Areia no Teatro Municipal

Costa Norte
Publicado em 05/09/2014, às 13h57 - Atualizado em 23/08/2020, às 14h23

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte
Peça desenvolve-se sem a presença de um cenário, e, sim, de objetos cênicos

O Grupo Trapiche, de São Paulo, apresenta Capitães da Areia, no próximo dia 9, no Teatro Municipal de São Sebastião (Av. Dr. Altino Arantes, 2 – centro histórico), em duas sessões, às 9h30 e a partir das 20 horas. Os ingressos custam R$15,00 (meia) e R$30,00 (inteira). O espetáculo teatral segue a mesma trama do livro, uma situação que persiste nos dias atuais, com menores e crianças abandonados, usuários de drogas e afeitos a todos os tipos de contravenções. Com os atores Beatriz Amado, Glauber Leme, João Mille, Tássia Machado, entre outros, o espetáculo faz uma interpretação voltada para o regionalismo da história e proporciona à platéia a identificação do quanto atual é a situação que o roteiro apresenta. No início, menores de rua se misturam com a plateia, para marcar as diferenças sociais. Depois sobem ao palco, já transformados em Capitães da Areia, num espaço cênico simples, sem a presença de um cenário e, sim, de objetos cênicos.

Retranca Mirada em Bertioga O Sesc Bertioga, em parceria com a prefeitura do município, apresenta, no domingo, 7, a partir das 11 horas, o Mirada – Festival Ibero-Americano de Artes Cênicas de Santos, que será encenado pela Cia. São Jorge de Variedades, no Parque dos Tupiniquins. Nessa montagem, a Cia. São Jorge de Variedades conta a história de um menino confundido com a figura de um santo. A partir daí, inicia-se uma caminhada por vários espaços nos quais ele vivencia momentos de alegria e de tristeza: luta com dragões; tenta salvar a personagem Mariela, presa no alto de um edifício; e descobre o amor. Nessa trajetória, ele conta com a ajuda dos pintores Candinho e Dica e do cineasta Glauber. A peça investiga o tempo/espaço dos rituais e das festas numa manifestação artística na qual a plateia interage diretamente na encenação, celebrando o encontro. Espectadores são protagonistas da obra tanto quanto os artistas em cena.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!