Santos é eleita novamente exemplo para o saneamento do país

Costa Norte
Publicado em 17/08/2012, às 11h47 - Atualizado em 23/08/2020, às 13h47

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte
História do município possui uma interface muito grande com o saneamento

Pelo 2º ano consecutivo, a cidade de Santos ficou na 1ª colocação do país no ranking do saneamento básico, divulgado pelo Instituto Trata Brasil, que analisou os dados de 2010 do SNIS (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento), do Ministério das Cidades, com as 100 maiores cidades do Brasil.

Os indicadores refletem os investimentos da Sabesp em saneamento, alcançando a universalização do atendimento com 100% de abastecimento de água, 100% de coleta de esgoto e 100% tratamento do que é coletado.

Para o superintendente da Sabesp, João Cesar Queiroz Prado, a história da cidade possui uma interface muito grande com o saneamento, por isso obteve essa posição de destaque. "No início do século passado, várias doenças foram responsáveis por dizimar a população santista. Metade da população morreu por conta de doenças de veiculação hídrica, o que chegou a atrapalhar até a movimentação de cargas do porto brasileiro”, conta ele.

História

A partir de 1900, começaram os investimentos em saneamento, com o projeto desenvolvido pelo engenheiro Saturnino de Brito, patrono da engenharia sanitária brasileira. “Podemos considerar três grandes fases para o saneamento, a primeira com Saturnino de Brito, há 100 anos. Depois, na década de 70, com a construção do reservatório de água tratada túnel Santa Tereza/Voturuá, maior cravado em rocha do hemisfério sul, o interceptor oceânico e o emissário submarino. E a terceira fase, com a nova estação realizada pelo programa ‘Onda Limpa’, duplicando a capacidade de tratamento de esgoto”, explica Prado.

Investimento

Nos últimos anos, dois grandes investimentos foram realizados em Santos: a duplicação da capacidade da Estação de Precondicionamento de Esgoto, realizada pelo ‘Onda Limpa’, com investimentos de R$ 206 milhões; e obras complementares da rede de esgoto dos Morros e do bairro Chico de Paula, com investimentos de R$ 9,5 milhões.

Volume de perdas

Outro destaque do relatório é o volume de perdas na distribuição de água. O relatório avalia positivamente o desempenho de Santos, que tem um índice de perdas de 12,83%, um dos mais baixos do país. A média das perdas obtidas pelas 100 maiores cidades neste item é de 40,46%. “A redução de perdas é obtida com uma série de ações, que estamos conseguindo desenvolver, como troca de hidrômetros, pesquisa de vazamentos, implantação de setores, entre outras”, conclui o superintendente da companhia.

Outros municípios

Além de Santos, as cidades de Praia Grande (22º), São Vicente (35º) e Guarujá (36º) obtiveram excelentes classificações no estudo. A Sabesp diz que o resultado desses municípios foi alavancado pelos grandes investimentos, principalmente obras do programa ‘Onda Limpa’, que permitiu a ampliação da cobertura de rede de esgoto na região.

Praia Grande mereceu destaque especial no relatório no quesito investimentos. Foi uma das poucas cidades do país, que registrou investimentos superiores ao faturamento da empresa prestadora de serviços. Além disso, possui o segundo melhor índice de perdas do país, com 7,7%.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!