Presença de cobradores nos ônibus volta a gerar polêmica na Câmara

manolo
Publicado em 23/11/2017, às 12h54 - Atualizado em 23/08/2020, às 16h14

FacebookTwitterWhatsApp
manolo
manolo
O vereador Gabriel Rocha elogiou os agentes comunitários de saúde e de combate a endemias

Não é de hoje que os vereadores da ilha têm opiniões diversas sobre o projeto de lei do vereador Cleison Guarubela (PRB), apresentado em agosto, que estabelece a obrigatoriedade de cobradores nos veículos de transporte coletivo urbano de passageiros. Atualmente, os motoristas acumulam a função.

O assunto repercutiu na sessão ordinária de terça-feira, 21, por causa de uma matéria publicada em jornal local, em defesa dos interesses da empresa de transporte Fênix, e comentada por vários parlamentares. Na época em que foi discutido, o projeto foi considerado inconstitucional por conter vício de iniciativa e invasão de competência privativa, e de que esta seria de competência do Poder Executivo.

Na sessão dessa semana, Evandro Alves Rodrigues, o Vando da Vila (PP), disse que o projeto é benéfico, pois geraria empregos na cidade, com a contratação dos cobradores de ônibus. O vereador Anísio Oliveira (DEM) disse que é urgente Ilhabela elaborar um plano de mobilidade urbana.

Cleison Guarubela comentou a matéria e explicou que, no projeto de sua autoria, ele não pediu o aumento da passagem do ônibus, mas que contratassem cobradores. Em Taubaté, ele exemplificou que os ônibus têm cobradores e o valor da passagem é R$ 3,50, já em Ilhabela é R$ 3,75, com pagamento em dinheiro, e R$ 2,75, no cartão de vale transporte. “Não temos baias para os motoristas encostarem os ônibus. E como eles têm que receber o valor da passagem, os carros, atrás, ficam esperando. Sofrem todos”. Ele falou que continuará defendendo os interesses da população, e não da empresa que presta o serviço de transporte público no município.

Já o vereador Marquinhos Guti (DEM) disse que esteve a tarde toda na empresa Fênix, conversando com motoristas, e que eles seriam contrários à contratação de cobradores. Segundo ele, os motoristas preferem acumular a função, e ter um salário maior. Marquinhos disse que é contrário ao projeto, pois gera custos, e para a empresa não ficar com o ônus, teria que aumentar o valor da passagem. Ele afirmou: “Fui até a sede da Fênix para ter uma visão mais ampla do assunto e eles me disponibilizaram planilhas de custos, documentos de auditoria e contratos. Cheguei à conclusão que não cabe a contratação de cobradores”. Marquinhos disse que a empresa implantou o bilhete único usado por 80% dos moradores, e que este já foi um grande investimento.

Pauta do dia

Na sessão ordinária dessa semana, os vereadores aprovaram os projetos que institui a libras no currículo escolar; e a obrigatoriedade de publicar os dados dos farmacêuticos plantonistas nos quadros informativos dos postos de saúde e hospital, juntamente com os médicos plantonistas, contendo nome, registro, dias e horários de atendimento, de autoria do vereador Mateus Pestana (PCdoB).

Aprovaram também o veto total do Executivo ao projeto que modifica a lei de criação do programa SOS Trabalho, de Valdir Veríssimo (PPS), alterando de um ano para seis meses o tempo de período exigido em situação de desemprego, para que o candidato seja beneficiado com a bolsa, desde que não receba seguro desemprego ou qualquer outro programa assistencial equivalente.

A noite foi de homenagens aos agentes comunitários de saúde (ACS) e agentes de combate a endemias (ACE), e aos diretores e voluntários da Associação do Movimento Afrodescendente de Ilhabela (Amai). O plenário da Câmara ficou lotado de funcionários da saúde, inclusive o atual secretariado, e ativistas do movimento negro.

Atuam em Ilhabela cerca de 80 ACS’s e 30 ACE’s que, juntos, levam informações, palestras, teatros, visitas domiciliares, mutirões e bloqueios dos focos de dengue. “Estes profissionais são de extrema importância. Para a obtenção de resultados positivos estes devem trabalhar de forma integrada às equipes de atenção básica na estratégia de saúde da família”, destacou o vereador autor da moção de louvor Gabriel Rocha (SD).

Também foi elogiada a moção do vereador Mateus Pestana (PCdoB­) destinada à  Amai, fundada em abril de 2010.  A associação tem a finalidade de fortalecer o movimento negro, sua cultura, religião. A entidade trabalha na parte social atendendo  necessidades de famílias, e melhorando o Natal de mais de 600 crianças, entre outras ações.

Bruna Vieira – Agência Gentecom

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!