Operação municipal apreende cerca de 80 animais vítimas de maus tratos

Costa Norte
Publicado em 09/06/2012, às 05h26 - Atualizado em 23/08/2020, às 13h42

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte

Exatamente no Dia do Meio Ambiente, festejado nesta terça-feira (05), a Divisão de Controle e Zoonoses de Guarujá conduziu uma ação que foge do tema, mas que já é uma ocorrência conhecida. Cerca de 80 animais, vítimas de maus tratos foram apreendidos em duas residências no Jardim Conceiçãozinha, em Vicente de Carvalho. No local, a equipe da prefeitura se deparou com um cenário assustador: um saldo negativo de 73 animais em estado crítico de saúde, sendo quatro cães; um pato; dois marrecos e uma galinha (que agonizavam). Já em condições mais amenas, 15 bichos entre patos e marrecos. Além destes, outras 50 aves foram encontradas já em absurdo estado de decomposição.

Reincidente Os animais pertencem ao mesmo dono, que já é reincidente no caso. Segundo vizinhos, os bichos são de um professor da rede estadual, de 62 anos, que reside na rua Álvaro Dias Nunes. O homem detém mais três terrenos na mesma via. Ainda de acordo com os moradores, possui uma tranquila situação econômica, o que contrasta com a “criação” dos animais em condições insalubres. Segundo a coordenadora de Bem-Estar Animal do município, Juliana Martins Ferreira, o problema existe desde 2009, época em que surgiram as primeiras denúncias da vizinhança. “É um homem que coleciona animais. Todos os recolhidos estão sendo levados ao Canil Municipal, para que possamos avaliar as condições de saúde dos bichos. É lamentável que a gente ainda tenha que se deparar com essa cena. Esperamos que, dessa vez, as autoridades tomem medidas mais rigorosas com o proprietário”.

Para adoção Juliana acrescenta que os animais serão avaliados, vermifugados, vacinados e castrados. Eles não serão devolvidos, mas serão mantidos no Canil, até que estejam recuperados e possam ser colocados para adoção. “Depois, vamos encaminhar os animais para quem der amor e carinho”, assegurou.

Vizinho Carlos de Freitas Fernandes é proprietário de uma borracharia, que fica atrás do endereço. Ele explica que não consegue dimensionar tamanha crueldade com os bichos. “Teve uns tempos em que eu vi até porco nesse lugar imundo. Na semana passada, consegui resgatar um cachorro e o levei até ao Canil. Este lugar está uma imundice, cheio de animais mortos, um cheiro horrível e os bichos sofrendo”, conta, indignado.

Em conjunto A operação foi realizada em conjunto com a PM (Polícia Militar). Diante da situação, a prefeitura registrou o 3º B.O. (Boletim de Ocorrência), para que sejam tomadas as medidas legais. De acordo com a PM, o morador será notificado para prestar esclarecimentos.

Acumulação de animais - Na psicologia, esse tipo de compulsão pode ser caracterizado como acumulação de animais. Nesse caso, o acumulador vai reunindo um número exagerado de bichos de estimação, sem ter como abrigá-los e alimentá-los de forma adequada, ao mesmo tempo em que nega essa incapacidade (algumas vezes passando por protetor dos animais). Embora a maioria desses animais fique em péssimas condições, pode ser considerado um transtorno mental. Às vezes, não configura uma crueldade deliberada para com os bichos, é configurada como doença, chamada “Síndrome de Noé”.

Serviço: Canil Municipal São Lázaro: rua Profª Maria Lídia Rego Lima, 301, Jardim Conceiçãozinha. Telefone: (13) 3387-7197.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!