Cinco propriedades são demolidas em reintegração de posse do Ana Paula

Costa Norte
Publicado em 22/04/2016, às 19h30 - Atualizado em 23/08/2020, às 15h09

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte

*Foto: Marina Aguiar

Por Marina Aguiar

Quatro casas e o portão de um terreno vazio foram demolidos na manhã de terça-feira, 19, no núcleo Ana Paula, em Bertioga. A ação faz parte da reintegração de posse da Serramar Empreendimentos Imobiliários, dona de uma área de 191.602 m², ocupada por 424 famílias. Em 2014, uma decisão judicial provou que a empresa é proprietária da área, mas a empresa decidiu vender seus lotes, e os ocupantes começaram a pagar pelos terrenos. Apenas cinco famílias não aceitaram nenhum acordo e tiveram as casas demolidas.

A primeira residência a ser reintegrada foi construída depois de toda a negociação e não tinha direito a acordo. A família saiu pacificamente e por conta própria. Já na segunda casa, a situação foi mais complicada. A proprietária Maria Josiane Lourenço mora em Guarujá e aluga o imóvel para uma mulher que possui quatro filhos. Durante a demolição, a dona de casa perdeu o controle e gritou com os responsáveis pela demolição. A proprietária explica sua decisão: "Eu não fiz acordo nenhum porque pago IPTU desde 2003. Não é justo me deixar sem terra".

Vizinho da casa demolida, o autônomo Tiago Santos Dias acha que a proprietária falhou em não regularizar a situação: "A gente alertou a Vanúzia [inquilina] várias vezes, mas ela disse que a proprietária não queria acordo, não queria fazer nada. Acredito que foi dada uma oportunidade e não fizeram”.

A terceira reintegração era de um terreno vazio e apenas o portão foi derrubado; a quarta casa estava abandonada e ficava próxima à praia. Já a última foi construída ilegalmente, colada ao muro, com entrada pela casa vizinha para despistar a fiscalização. O morador saiu tranquilamente, sem alvoroço.

A ação contou com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho e Renda, Conselho Tutelar, Guarda Civil Municipal, Diretoria de Trânsito e Polícia Militar. Além das reintegrações, 69 famílias foram notificadas devido à inadimplência no pagamento dos boletos; elas receberam o prazo de 30 dias para quitar as dívidas.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!