LITORAL NORTE

Chuvas diminuem, mas bairros continuam alagados em Caraguatatuba

Rio Marinas, Morro do Algodão, Pegorelli e Perequê Mirim são os bairros afetados pelas chuvas de cabeceira, que ainda causam alagamentos na cidade

Estéfani Braz
Publicado em 28/01/2024, às 11h08

FacebookTwitterWhatsApp
Imagem aérea mostra alagamento na Fazenda Serramar. - Reprodução / Prefeitura de Caraguatatuba
Imagem aérea mostra alagamento na Fazenda Serramar. - Reprodução / Prefeitura de Caraguatatuba

Com a diminuição do volume de chuvas, a cidade de Caraguatatuba saiu do estado de atenção e passou para estado de observação. A mudança de status ocorre devido à  possibilidade de normalização do nível das águas dos rios, córregos e canais. A orientação partiu do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden).

Apesar de cessar o estado de atenção, algumas regiões ainda sofrem com alagamentos, por causa da elevação dos níveis dos rios. Nos bairros Barranco Alto, Morro do Algodão e Perequê Mirim, algumas ruas permaneciam alagadas no sábado (27), mesmo com a redução de chuvas. 

Segundo a prefeitura de Caraguatatuba, as chuvas de cabeceira são as principais causas dessas enchentes. Também chamadas de cabeça d’água, elas ocorrem em grande volume e de forma rápida nas áreas de rio e podem provocar transbordamento  e alagamentos. Imagens aéreas da Fazenda Serramar e da região sul da cidade mostram parte da vegetação e das ruas encobertas pela água.

Região sul sofre com ruas alagadas
Região sul sofre com ruas alagadas | Reprodução/PMC

ACOLHIMENTO

Até sexta-feira (26), 11 pessoas, das quais oito adultos e três crianças, precisaram ser removidas de suas residências e transferidas para o abrigo disponibilizado pela prefeitura. As famílias são do bairro Pegorelli e foram realocadas no Centro Esportivo Municipal Ubaldo Gonçalves, onde recebem roupas, banho e alimentação. Outros pontos de apoio para famílias atingidas pelas chuvas são a igreja evangélica Assembleia de Deus e a paróquia São José, no morro do Algodão, além da Emei/Emef João Batista Marcondes, no Barranco Alto.

Famílias são abrigadas em Centro Esportivo de Caraguatatuba
Famílias são abrigadas em Centro Esportivo de Caraguatatuba | Divulgação/Prefeitura de Caraguatatuba

Estéfani Braz

Formada em Comunicação Social na Faculdades Integradas Teresa D'Ávila

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!