FEBRE MACULOSA

Febre maculosa é um risco em Bertioga? Saiba sobre as causas e sintomas

Em Bertioga (SP) não se tem registro de óbitos e nem sequer da incidência da doença. No entanto, a prefeitura de Bertioga, preocupada com os casos no interior do estado, criou um guia básico para orientar a população

Da redação
Publicado em 26/06/2023, às 10h29 - Atualizado às 11h23

FacebookTwitterWhatsApp
Reprodução
Reprodução

A doença febril aguda causada pela bactéria Rickettsia rickettsii transmitida aos humanos por intermédio de picadas de carrapatos contaminados do tipo Amblyomma, popularmente conhecido como ‘carrapato estrela’ e que pode levar inclusive à morte, ganhou o noticiário de todo o Brasil nas últimas semanas. Afinal de contas, o que se sabe sobre a tão temida febre maculosa e como podemos evitá-la?

Para que haja a contaminação o carrapato precisa estar fixado no corpo humano por quatro horas (em média) e os sintomas podem surgir entre dois e 14 dias; são eles: febre alta, dor de cabeça (cefaleia), calafrios, dores no corpo, conjuntivite, náuseas e vômitos, insônia e dificuldade para descansar, além de inchaço e vermelhidão nas palmas das mãos e sola dos pés. 

NOVIDADE! O Costa Norte tem uma comunidade no WhatsApp! Clique para fazer parte 🔗 https://bit.ly/ComunidadeCostaNorte

Em Bertioga (SP) não se tem registro de óbitos, nem sequer da incidência da doença. No entanto, a prefeitura de Bertioga, preocupada com os casos no interior do estado, criou um guia básico para orientar a população: "Independentemente disso a bactéria existe e o deslocamento dos carrapatos pode trazê-la à nossa cidade". 

Veja as orientações:

Procurar uma unidade de saúde o mais rápido possível para confirmar a doença e iniciar o tratamento é imprescindível para evitar a evolução dos sintomas, uma vez que a doença pode deixar sequelas e em casos mais graves levar à morte.

O tratamento médico deve ser iniciado em até 5 dias após o início dos sintomas, e o paciente deve passar informações complementares na consulta, entre elas as cidades e regiões visitadas no período pré-infeccioso.

Como evitar a doença 

Entre as recomendações para dificultar a infecção, estão: evitar caminhar, sentar ou deitar em áreas que possam ter carrapatos, como margem de rios, lagos, barragens e áreas de pastagens. Quando em casa, aparar o gramado dos jardins o mais rente do solo possível é uma alternativa para o artrópode não se acomodar em sombras (o sol impede a proliferação do carrapato). 

Manter o animal de estimação limpo e asseado é outra boa recomendação, bem como evitar passear em áreas de infestação, uma vez que ele pode levar os carrapatos para dentro de casa. 

𝗦𝗶𝗴𝗮 𝗼 𝗖𝗼𝘀𝘁𝗮 𝗡𝗼𝗿𝘁𝗲 𝗲𝗺 𝘁𝗼𝗱𝗮𝘀 𝗮𝘀 𝗽𝗹𝗮𝘁𝗮𝗳𝗼𝗿𝗺𝗮𝘀 🔗 https://linktr.ee/costanorteoficial

Caso tenha que frequentar área de risco, o ideal é usar botas, camisa de manga longa e calça comprida, de cores claras, com a barra da calça dentro das meias.  

Como retirar o carrapato do corpo? 

Um dos estágios de crescimento do carrapato (micuim) é de difícil visualização. Por esse motivo o banho quente com a bucha vegetal é uma alternativa para retirá-lo. Falando em retirar, para não se contaminar evite espremê-lo com as unhas, não encoste objetos aquecidos na pele, retire o carrapato com uma pinça fazendo leves torções e, após retirá-lo, jogue-o no fogo ou em um frasco com álcool. 

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!