A tradicional Festa da Tainha, realizada anualmente há 43 anos em Bertioga, foi cancelada em 2020 devido à pandemia de covid-19 e, também, por conta do fim da safra do pescado, que ocorre entre abril e julho.

Participe dos nossos grupos 👉 http://bit.ly/COSTAINFO5 📲 Informe-se, denuncie ℹ

Inicialmente, a festa foi adiada de julho para o mês de outubro, em seguida mudou para novembro. No entanto, com a permanência da pandemia e do distanciamento social, o Lions Clube Bertioga, organizador do evento, decidiu cancelar a festa. 

Segundo a assessora de comunicação e marketing da entidade, Adriana Guida Bittencourt, encontrar o pescado com a qualidade a que estão acostumados também está difícil na época atual. "Nós tentamos prorrogar, mas não achamos mas tainha com a qualidade que usamos pra festa. Afinal, usamos 10 a 12 toneladas de peixe. Não vamos comprometer a qualidade do evento", declarou.

A Festa da Tainha é realizada uma vez ao ano, em todos os fins de semana do mês de julho. São mais de 60 empregos temporários, 12 toneladas de tainha e um público de 30 mil pessoas. A renda é utilizada para despesas do clube e investimento em projetos sociais.

Com o dinheiro arrecadado, o Lions entrega enxovais para recém-nascidos, cadeiras de roda e banho, andadores e muletas, e destina recursos a entidades com projetos aprovados e fiscalizados pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), entre outros. 

O cancelamento afetará não só a economia e o turismo, como o desenvolvimento de algumas ações da entidade. "Esse ano teremos que ter o pé no chão. Dependemos da festa para fazer nossas atividades, mas já temos nosso orçamento direcionado para algumas ações pré-estabelecidas para o ano", explicou Adriana. 

Questionada, a prefeitura de Bertioga informou que a festa, historicamente, causa um grande movimento na cidade. Por meio de nota, a Secretaria de Turismo, Esporte e Cultura, afirmou não ter dados históricos que permitam tecnicamente fazer uma avaliação de qual seria o resultado da festa em situação de pandemia, fora da data tradicional da festa e com a lotação do espaço reduzida em função do protocolo sanitário. "Este cancelamento se insere dentro do impacto geral da pandemia no turismo da cidade que estimamos seja de mais de 80%".