Força-tarefa realiza mais uma ação em área do Perb em Guaratuba

Costa Norte
Publicado em 27/07/2013, às 04h28 - Atualizado em 23/08/2020, às 14h04

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte
Ao todo, município conta com o cadastro de 295 imóveis irregulares

Como parte da reorganização do sistema de gerenciamento das áreas incluídas no Parque Estadual Restinga de Bertioga (Perb), mais uma ação foi realizada, na manhã de quinta-feira (25), pela força-tarefa, contra edificações irregulares, desta vez, na Vila da Mata, em Guaratuba. A ação, conduzida pela Diretoria de Operações Ambientais (DOA) do município, envolveu a Fundação Florestal (FF), as polícias Militar e Ambiental, a Guarda Civil Municipal (GCM) e a Secretaria de Serviços Urbanos, que cedeu o maquinário. Dois imóveis irregulares, em construção, foram demolidos: um destinado para fins comerciais e, outro, para uso residencial. Ambos estavam desocupados. Desde a criação do Perb, algumas estratégias vêm sendo traçadas para dar agilidade e maior eficácia à fiscalização das áreas pertencentes ao parque. De acordo com o diretor da DOA, Bolívar Barbanti Júnior, a prefeitura concluiu, recentemente, o cadastramento de ocupações irregulares na área do Perb, em Guaratuba, Boraceia e Canto do Itaguá. O trabalho, que envolveu a Guarda Civil Ambiental e funcionários da Secretaria de Meio Ambiente, cadastrou 295 imóveis irregulares. Desse total, 37 estão na área do Morro de Itaguá; 15, no Morro do Macuco; 62, na Chácara Vista Linda; 99, na Vila da Mata e, 41, agregados (cadastros novos). O objetivo do trabalho, conforme explica Bolívar, é manter o congelamento dessas áreas e, futuramente, tentar encaixar as famílias em algum programa habitacional. “Trata-se de um cadastro georeferenciado, ou seja, que aponta onde estão as casas e quem as ocupa”. Não são permitidas ampliações e novas construções sem autorização da Fundação Florestal, que só autoriza intervenções, caso o imóvel esteja colocando em risco o ocupante, como por exemplo, um telhado ou uma parede danificados.

Fiscalização Na semana passada, uma ação semelhante foi realizada, também na Vila da Mata, onde a DOA apreendeu 1.200 blocos, que seriam utilizados para mais uma construção irregular naquela área. Segundo Bolívar, a fiscalização está atenta, permanentemente, para evitar novas ocupações. “Nosso trabalho, que já é constante, visa garantir a efetiva conservação das áreas e implantar uma nova forma de gerenciamento de nosso meio ambiente. No momento de cada operação, todas as medidas podem ser aplicadas, desde uma demolição, até o enquadramento criminal por parte da Polícia Militar Ambiental”, afirmou. Denúncias Para mais informações sobre a força-tarefa ou denúncias sobre invasões e crimes ambientais, ligue para o número (13) 3317-7073, da Diretoria de Operações Ambientais.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!