Dra Débora diz que implantará UPA em Boracéia

Costa Norte
Publicado em 15/09/2012, às 05h50 - Atualizado em 23/08/2020, às 13h48

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte

Por Maria Paula

Dra. Débora: ““Tomando posse vou instalar a UPA em Boracéia, porque a população de lá é sofrida”

Dra. Débora abriu o programa também atacando a atual Administração dizendo que o município gasta mais de R$ 2 milhões por mês com a Saúde, sem o devido retorno que a população merece. O intuito dela é investir na área, de modo preventivo, para diminuir os gastos com os serviços terceirizados, referindo-se assim a gestão atual do Hospital Municipal executada pela FuABC. Para Dra. Débora, o modelo de Saúde é criar as Unidades de Saúde da Família e as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) 24h. A verba federal que já foi destinada à implantação de uma UPA em Bertioga será utilizada pela candidata para implantar a unidade em Boracéia. “Tomando posse vou instalar a UPA em Boracéia, porque a população de lá é sofrida. Outro motivo é a rodovia Rio-Santos cortar Boracéia e não ter um pronto atendimento por lá”. Ela pretende ainda buscar recursos junto ao governo federal para implantar outras UPAs no Indaiá e no centro. A candidata disse que vai rever a política salarial do funcionalismo público. “Não é justo esse reajuste tabelado em 5%, há anos. independente dos índices de inflação há uma defasagem salarial”. Investir em capacitação do servidor concursado é outra meta. Única mulher candidata a prefeita, ela ressaltou a necessidade de prevenção da saúde da mulher e falou da criação de creches e escolas em período integral para favorecer diretamente as mulheres que trabalham. Lei federal A candidata não assumiu nenhuma posição quanto ao armamento da GCM, apenas lembrou que a lei federal do desarmamento não permite que municípios com menos de 50 mil habitantes delibere o armamento da GCM. A reforma administrativa da candidata se estende a criação da Secretaria Municipal de Segurança Pública; da Secretaria de Esporte Juventude e Integração; além dessas, readequar a Secretaria de Turismo, que passará a ser Secretaria de Indústria, Comércio e Turismo. E ainda entre os seus projetos consta a criação de 12 regionais ao longo do município. Para tanto, ela afirma que vai extrair 5% da receita corrente líquida do orçamento, o equivalente a R$ 12 milhões por ano e distribuir R$ 1 milhão por ano a cada regional.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!