Amor animal, uma surpreendente história de carinho

Costa Norte
Publicado em 29/07/2011, às 15h39 - Atualizado em 23/08/2020, às 13h20

FacebookTwitterWhatsApp
Costa Norte
Costa Norte

O amor pelos animais fez com que uma moradora de Bertioga abrigasse, em sua própria casa, um cachorro ferido e, de quebra, o seu dono: um morador de rua. O fato inusitado ocorreu em razão de o cão – chamado carinhosamente de Scoob – ter sido atropelado e necessitar de cuidados especiais e cirurgia. Mas principalmente porque, além de aguentar os machucados causados pelo atropelamento, o animal demonstra grande sofrimento com a falta do dono.

A pensionista Linda Musciachio, moradora da Vista Linda, conta que a história começou no último sábado (23), quando por volta das 9h, um motorista partiu para cima de cachorros que estavam atrás de uma cadela no cio, em uma rua do bairro.

1º socorro

Scoob acabou sendo ferido pelo veículo e, o seu dono, o morador de rua de pré-nome Silvio, correu atrás de socorro, mas não obteve ajuda. Por volta das 13h, ele foi procurar Linda, que já é conhecida nas imediações por ajudar a todos, inclusive, costuma servir comida aos moradores de rua.

A pensionista disse que levou imediatamente o cão ao Pet Shop La Matilha, no centro da cidade. Lá foi feito raio-x das duas patas dianteiras de Scoob, que revelou fratura na pata esquerda. Houve necessidade de imobilização para o osso não furar a pele e se tornar uma fratura exposta. A pata direita do cãozinho também foi machucada e todo o corpo dele está com pequenas esfoliações.

2º socorro

A solução, então, foi abrigar Scoob em sua casa. Mas, nas primeiras noites que o cão passou no quintal sob os cuidados de Linda, ele uivava e chorava muito, sentindo falta do dono. A pensionista não teve dúvidas: providenciou um sofá para Silvio dormir ao lado do animal machucado. O morador de rua, segundo ela, sai de manhã para fazer bicos e volta às 18h para cuidar do bichinho.

Custos

Linda revelou que a consulta veterinária custaria em torno de R$ 200, mas o veterinário Alejandro Giacri, ao saber da situação, cobrou R$ 100. Será necessário, no entanto, uma cirurgia para colocação de um pino na pata esquerda de Scoob, e segundo Linda, o veterinário só irá cobrar o material usado: R$ 450, vindo da capital paulista. Outras despesas como antibióticos, colete, gases, pomada, faixa, enfim, toda a manutenção e cuidado pós-operatório também estão previstas. Assim, com todo o tratamento, a pensionista calcula que será preciso R$ 600.

Sob cuidados

Enquanto o pino não é enviado para Bertioga, Linda continua cuidando de Scoob em sua casa. Duas vezes por dia, ela faz curativos na pata direita do cãozinho e ainda passa anticéptico e caldo de hortelã. A previsão é que após a cirurgia, Scoob ainda permaneça na casa dela por mais dois meses, já que o cachorro terá que ficar com uma gaiola na pata.

Ajuda

Linda escreveu uma carta pedindo ajuda e deixou no bar ao lado de sua casa. Disse que já arrecadou R$ 100. O presidente da ONG Crescer, Domingos Kubo, segundo ela, também contribuiu com mais R$ 250.

Mais interessados em ajudar Scoob podem ligar para (13) 9616-9900; (11) 7754-3063 ou (11) 8283-5303, direto com Linda.

Comentários

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!