JL EDIÇÃO 259

Confira as atrações do último dia do Seminário Internacional do Café

O evento, que ocorre em Santos, é o maior do setor cafeeiro do Brasil

Da redação
Publicado em 23/05/2024, às 15h45

FacebookTwitterWhatsApp
O evento reuniu participantes de várias nacionalidades - Reprodução TV Cultura Litoral
O evento reuniu participantes de várias nacionalidades - Reprodução TV Cultura Litoral

Ao longo dos três dias de evento, o seminário apresentou aos participantes estudos e pesquisas com cenários mundiais, bem como análises diversas, novidades tecnológicas, tendências de consumo e outros detalhes importantes para a tomada de decisões. Organizado pela ACS, com o apoio de várias entidades do segmento e a atuação direta do Comitê do Café, o seminário reuniu especialistas, produtores, pesquisadores, exportadores, compradores, representantes da indústria e autoridades. O seminário acontece desde 1972 e tem o objetivo de promover a interação entre profissionais e executivos do setor, permitindo a troca de experiências e o acerto de parcerias comerciais.

Destaques do Viver em Santos

A Justiça negou o segundo pedido de prisão preventiva apresentado pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP) contra o homem suspeito de abusar sexualmente de uma mulher em situação de rua em uma calçada no Centro de Santos. O caso ocorreu no começo deste mês, na Rua Braz Cubas, e as imagens circularam nas redes sociais. O MP defende que a prisão se faz necessária, já que a vítima sustentou ter sido estuprada e que existe risco de fuga. No entanto, a juíza que julga o caso considerou que não há informação de que o homem tenha descumprido as medidas cautelares impostas na decisão anterior. O caso era investigado pela Polícia Civil como estupro de vulnerável. Ao final do inquérito, a corporação já havia apresentado um pedido de prisão do homem, que também foi negado pela Justiça.

Debate do JL

No quadro de hoje, discutimos um tema crucial para o mundo empresarial: as estratégias que as empresas podem adotar diante das mudanças climáticas, que estão se tornando cada vez mais intensas e frequentes. De um lado, temos a adaptação proativa, onde empresas investem em tecnologias e consultorias para obter previsões climáticas avançadas, entre outros. Do outro lado, está a reatividade, uma abordagem que valoriza a flexibilidade e minimiza custos iniciais. As empresas ajustam suas operações à medida que as condições climáticas mudam, evitando grandes investimentos prévios. Falaram sobre o assunto a advogada Rosana de Almeida Coelho e o diretor de sustentabilidade da Imagem Geosistemas, Marlos Batista.

Você pode rever esse quadro em nosso canal do YouTube.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!