Um grupo de cinco amigos da Grande São Paulo teve prejuízo e decepção ao alugar uma casa para passar o Réveillon em Bertioga, na Baixada Santista. O imóvel, reservado pelo site Temporada Litoral Norte, apresentava valor atrativo, abaixo do mercado, mas não existia.

Participe dos nossos grupos ➤ https://bit.ly/COSTAINFO8  📲 Informe-se, denuncie! ℹ

O responsável pelo contato com a empresa, Igor Fernando, de 26 anos, explicou que a empresa parecia bem séria e possuía referências. "Alugamos uma casa de R$ 1.600, do dia 30 ao dia 3. Uma casa que, na descrição, tinha três quartos, três banheiros e piscina. Entramos em contato com uma mulher que atendia como Priscila, confesso que fiquei com o pé atrás e questionei as nossas garantias. Ela muito educada disse que haveria um contrato, e que poderiamos verificar a empresa no Google", explicou.

O grupo consultou um advogado e acabou fechando o contrato, com pagamento de 50% do valor antecipadamente. No entanto, um dia antes da entrada na casa, a corretora identificada como Priscila de Andrade pediu que o restante do valor fosse depositado, alegando mudanças na política do aluguel. "Imaginamos que ela pudesse estar com medo da gente desistir porque, possivelmente, as praias estariam fechadas, e depositamos um dia antes", disse Igor.

No dia 30, os amigos vieram para Bertioga com o carro cheio de compras e passaram a ligar para a corretora. "Mas o celular não atendia mais, ela não recebia as mensagens no WhatsApp. Ficamos das 10 horas da noite à 1 hora da manhã procurando a casa. Por uma coincidência a gente viu o prédio que ficava do lado da casa que ela mandou a foto, entramos na rua começamos a bater palma na casa, gritar, mas estava vazia".

Uma vizinha ouviu o chamado e decidiu alertá-los. Ela informou que uma outra família esteve na casa por volta das 10 horas da manhã, chamou a polícia e descobriu que era um golpe. A ação foi idêntica, a corretora bloqueou as vítimas assim que conseguiu o depósito. 

Igor fez um boletim de ocorrência online e, como não tinha lugar para ficar, voltou para São Paulo. "O dinheiro nem foi o maior problema, o problema maior é a frustração. A gente achou que ia ter um final de ano legal, um Réveillon que a gente pudesse curtir. A gente sabia que tinha a possibilidade da praia estar fechada, por isso a gente alugou uma casa grande, com piscina. A decepção maior é a casa não existir, a gente não ia ligar se chegasse lá e a piscina fosse pequena, a casa fosse feia, ou tivesse uma localização ruim. Esse seria o menor dos problemas, o problema foi a frustação de ter que voltar", lamentou.

Após sofrer o golpe, Igor decidiu publicar o caso em sua rede social para que outras pessoas não caiam na mesma cilada. "Ninguém está livre de passar por isso. O valor que a gente perdeu não vai deixar ela mais rica e nem a gente mais pobre. Passamos a virada em casa, em segurança, a gente tá em paz e tem coisas mais importantes pra se preocupar agora. Fica de alerta para outras pessoas tomarem mais cuidado e não cairem nesse tipo de golpe. Parece que vai passando o tempo e esse bandidos vão ficando mais profissionais, vão melhorando a abordagem deles".

LEIA MAIS ➤ Santos Brasil demite todos os motoristas e anuncia terceirização

LEIA MAIS ➤ Vacinação contra a covid-19 começa dia 25 em Santos

A reportagem do Sistema Costa Norte de Comunicação tentou contato com a empresa Temporada Litoral Norte por telefone, mas não obteve retorno. No WhatsApp, a corretora citada não respondeu e bloqueou os números da redação. O site da empresa também foi retirado do ar.