A região de Santos terminou o mês de setembro com reduções consecutivas em importantes indicadores de crimes patrimoniais, com destaque para os roubos de veículos. Este indicador caiu pelo 16º mês seguido, contabilizando 27 boletins a menos no nono mês deste ano, em comparação com igual período de 2019 - passou de 92 para 65.

Participe dos nossos grupos ➤ https://bit.ly/COSTAINFO3 📲 Informe-se, denuncie!

O recuo apresentado pela modalidade criminosa teve início em junho de 2019, quando houve 30 casos a menos, se comparado com igual mês de 2018 (passou de 166 para 136). Desde então, os roubos de veículos não pararam de recuar, apresentando a maior diminuição em maio deste ano, quando houve queda de 91 casos (passou de 155 para 64).

A tendência se estendeu para outros indicadores relevantes, como os roubos em geral. Este crime teve sete meses consecutivos de queda, a partir de março deste ano, quando foram registrados 1.013 boletins, ante 1.395 em igual mês de 2019 - uma redução de 382 casos. O recuo mais acentuado desta modalidade ocorreu em maio de 2020, com uma diferença de 461 registros (passou de 1.218 para 757).

Outro indicador que também diminuiu mês a mês foram os furtos de veículos, que caiu pelo 7º mês seguido. A redução consecutiva desta modalidade teve início em março deste ano, quando foram contabilizadas 190 ocorrências, contra 244 em igual mês de 2019 - 54 boletins a menos. O recuo mais representativo deste crime, na região, aconteceu em agosto, quando houve 129 registros a menos em comparação a igual período do ano anterior - passou de 269 para 140.

Setembro

No mês de setembro deste ano, na região de Santos e Vale do Ribeira, os roubos de veículo tiveram a menor quantidade da série histórica, iniciada em 2001. Se comparado o nono mês de 2019 ao de 2020, o número passou de 92 para 65 – diferença de 27 registros e queda de 29,3%.

Os roubos em geral também caíram no período. Esse indicador passou de 1.128 para 891 – 237 a menos. Nos furtos de veículos, por sua vez, o recuo foi de 44,7%, passando de 226 em setembro de 2019 para 125 em igual mês deste ano. A quantidade é a menor da série.