O Comitê de Blitze do governo do estado e da prefeitura de São Paulo encerrou nesta madrugada uma festa clandestina na capital. Além disso, multou e interditou um spa na Aclimação, que funcionava irregularmente, e um bar em Pinheiros, com clientes consumindo em seu interior, ambos considerados serviços não essenciais e, portanto, não autorizados a atender o público nesta fase emergencial do Plano São Paulo.

Veja o vídeo da ação:

A fiscalização intensa integra o reforço em ações de enfrentamento à pandemia em todas as regiões do estado. Desde o dia 26 de fevereiro, na fase emergencial, o estado determinou combate mais rígido a aglomerações e eventos clandestinos para conter o contágio acelerado do coronavírus.

A força-tarefa integra agentes de órgãos do governo do estado para reforçar o trabalho de fiscalização de prefeituras e o cumprimento das regras previstas na fase emergencial do Plano São Paulo.

Faça parte do nosso grupo no WhatsApphttp://bit.ly/CNnoticiasdolitoral E receba matérias exclusivas. Fique bem informado! 📲

Entre sexta-feira e a madrugada deste sábado, a Polícia Militar atuou de forma preventiva na capital, litoral e interior em 40 ações de apoio à Vigilância Sanitária e 3.544 dispersões - houve 972 pontos de aglomeração flagrados pela PM. Mais de 46 mil veículos foram vistoriados e 69 pessoas foram presas, sendo que 49 eram procuradas pela Justiça.

Comitê de Blitze

Criado no dia 12 de março, em parceria com a prefeitura de São Paulo, o Comitê de Blitze tem como objetivo reforçar as fiscalizações e o cumprimento das medidas restritivas da fase emergencial e evitar a propagação do coronavírus.

Integram o Comitê agentes da Guarda Civil Metropolitana e da Covisa (Coordenadoria da Vigilância Sanitária) pela prefeitura de São Paulo. Pelo governo do estado, atuam profissionais da Vigilância Sanitária, Procon e das Polícias Civil e Militar.

Qualquer pessoa pode denunciar festas clandestinas e funcionamento irregular de serviços não essenciais pelo telefone 0800-771-3541 e também no site www.procon.sp.gov.br ou pelo e-mail secretarias@cvs.saude.sp.gov.br, do Centro de Vigilância Sanitária.