A deputada federal Rosana Valle (PSB/SP) cobrou repasse de recursos do governo do estado para a conclusão das obras dos novos hospitais de Bertioga e Peruíbe e para equipar os pronto-socorros do Jardim Rio Branco e da Linha Vermelha em São Vicente. As unidades gerariam 194 leitos para a Baixada Santista e o investimento seria superior a R$ 30 milhões.

Faça parte do nosso grupo no WhatsApp http://bit.ly/CostaNorteinfolitoral2 E receba matérias exclusivas. Fique bem informado! 📲

Segundo a parlamentar os hospitais ainda não foram concluídos por falta de repasse de recursos do governo do estado.

“Peço ao governador que providencie os repasses, pois a população vê os prédios vazios ou com obras paradas, justamente em uma época em que as unidades fazem tanta falta por conta da pandemia”, afirmou a parlamentar.

O Hospital de Bertioga com obras iniciadas em 2015 teria 62 leitos, sendo 10 leitos de UTI adulto e quatro salas de cirurgia. A estrutura está sendo erguida em área de 3 mil metros quadrados, com quatro andares. Até o momento o estado investiu R$ 8 milhões e a prefeitura em contrapartida R$ 500 mil, mas sem o repasse prometido de R$ 11 milhões, o município não consegue dar continuidade aos trabalhos.

Já o Hospital de Peruíbe em área de 4.183 metros quadrados teria 58 leitos e faria parte do chamado Quarteirão da Saúde. Ao lado dele estão o Ambulatório Médico de Especialidades – AME e a Unidade de Pronto Atendimento – UPA.  As obras já consumiram inicialmente R$ 4 milhões, repassados pelo estado, mas o convênio para a segunda e última fase não resultou em novos aportes.

Segundo a deputada faltam R$ 18 milhões, prometidos em diversas ocasiões pelo governo do estado, mas que ainda não chegaram aos cofres municipais. O estado alega agora contingenciamento de verbas por causa da pandemia para não disponibilizar os recursos.

Pronto socorros

Em São Vicente a prefeitura construiu dois prontos-socorros. Um deles fica no Jardim Rio Branco, e comportaria 25 leitos, na esquina da Rua Gilberto Esteves Martins com a Avenida Ulisses Guimarães.  Outro está localizado na Linha Vermelha, em área de 3.200 metros quadrados, com capacidade para 49 leitos.

O prefeito de São Vicente, Kayo Amado (Pode), quer equipar as unidades para colocá-las em funcionamento, mas não tem recursos. Por isso pediu ajuda ao Governo do Estado. Como resposta obteve um pedido de documentação relativo ao PS da Linha Vermelha. “Peço ao governador que atenda o prefeito o mais rápido possível”, disse Rosana Valle. 

A deputada ressaltou que ao todo seriam quatro unidades de grande porte que ajudariam a região a enfrentar a pandemia da Covid-19, e a salvar vidas. As edificações seriam ainda responsáveis por tirar a região das fases mais restritivas do Plano São Paulo, que afetam diretamente a economia local.