Com o objetivo de falar sobre o Setembro Amarelo, campanha nacional de valorização da Vida, o Hospital Municipal de Bertioga (HMB) realizou um ciclo de palestras voltado para os colaboradores da unidade de saúde. 

A programação foi realizada na segunda-feira, 14 de setembro, quando o tema Suicídio: um fator social foi apresentado pela psicóloga do HMB, Viviane Siqueira, que desenvolveu o assunto com vistas à necessidade em que cada um tem de ser percebido, e diante do número de atendimentos de funcionários que passaram pelo setor de psicologia do hospital. “Embora é sabido que um acolhimento mais minucioso só pode ser realizado por um psicólogo para desenvolver um processo terapêutico, nem sempre se tem um psicólogo disponível durante o momento de angustia e sofrimento, e, pensando neste fator, foi que as palestras apresentadas no Hospital Municipal de Bertioga vieram para formar multiplicadores do bem”, explica a especialista.

A “questão da saúde mental atrelada ao suicídio” foi a temática abordada pela médica psiquiatra do município de Bertioga, Dra Ana Rita da Silva Santos. A atividade promoveu uma roda de conversa, que debateu sobre os valores da geração passada e a realidade em que vivemos, redes sociais como fator de risco positivo e negativo, a discussão de casos para reflexão de todos os colaboradores envolvidos, dentre outros assuntos.  

De acordo com a diretora do Hospital Municipal de Bertioga, Ana Patrícia Palma, com as palestras, os participantes aprendem a detectar sinais das pessoas que estão vulneráveis. “Não somente uma pessoa que chora e está triste, ou fala sobre cometer suicídio é um alerta, mas também aquele que ri, brinca também pode ter a mesma problemática do suicido. E embora seja mais difícil identificar, sempre apresentam sinais pelo qual podemos detectar um pedido de ajuda e principalmente o não julgamento e questionamento no que se diz respeito a dor do outro”, explica.