O cenário político de Bertioga começou a ser definido com as convenções partidárias, realizadas entre 10 e 15 de setembro. Ao todo, são sete candidatos ao cargo de prefeito do município e 177 disputam as nove cadeiras na Câmara de vereadores. Dos 20 partidos em atuação na cidade, sete coligações e chapas foram formadas para concorrer às Eleições 2020.

Participe dos nossos grupos http://bit.ly/COSTAINFO5 📲 Informe-se, denuncie ℹ

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) foi o último a anunciar os candidatos e coligações. O atual prefeito, Caio Matheus, declarou sua candidatura à reeleição pela maior coligação do município, Bertioga no Caminho Certo, com o vice-prefeito Marcelo Villares, ambos do PSDB. “Foram quatro anos de muito trabalho, de muita dedicação. Mesmo tendo recebido a cidade em situação de emergência financeira, com intervenção na saúde e um cenário econômico da pior crise das últimas décadas, além da pandemia do coronavírus. Bertioga continua crescendo, se modernizando, mas, ainda temos muitos desafios pela frente. A gente vai continuar trabalhando pelas coisas que a gente acredita, com fé em Deus", declarou.

A aliança reúne nove partidos e contará com 42 candidatos ao cargo de vereador. Os partidos coligados à chapa majoritária são o PSDB, Democratas (DEM), Partido Republicano da Ordem Social (PROS), Solidariedade, Cidadania, Movimento Democrático Brasileiro (MDB), Podemos (PODE), Republicanos e Partido Social Democrático (PSD). 

A segunda maior coligação é a do candidato a prefeito Silvio Magalhães, do Partido Socialista Brasileiro (PSB), com o vice-prefeito Fernando Aguiar, também do PSB. São quatro partidos: PSB, Partido Verde (PV), Partido Democrático Trabalhista (PDT) e Partido Social Cristão (PSC), com 56 candidatos ao cargo de vereador, mas com 70 pessoas no grupo, já que conta com candidatura coletiva. 

A coligação Bertioga do Futuro promete um novo modelo de fazer política. "Vamos concentrar toda nossa energia na saúde, na educação e na zeladoria da cidade. Mas, principalmente na apresentação das contas à população", disse Silvio Magalhães. 

O Partido dos Trabalhadores (PT), o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) e o Partido Comunista do Brasil (PCdoB) uniram-se na coligação Bertioga Para Todas, Todos e Todes e também apresentou a proposta, pioneira em Bertioga, de candidatura coletiva no Legislativo. Serão 10 candidatos a vereador, com dois coletivos: Bancada Mais Mulheres e Ubuntu (o que soma mais sete pessoas ao grupo). 

A candidata a prefeita é a Professora Lucélia, com o vice-prefeito Aluisio Bichir, ambos do PT. "A expectativa do Partido dos Trabalhadores de Bertioga é a que tenhamos um processo eleitoral limpo e civilizado em que os competidores discutam seus projetos para a cidade. Que se tratem com respeito, como adversários e não como inimigos. Nossa prioridade maior é colocar o povo no orçamento, ouvir suas demandas e dar a todas o devido encaminhamento", afirmou Lucélia.

A coligação Bertioga Pode Mais uniu o Partido Liberal (PL) e o Avante e tem a candidata Lucília Goulart (PL) com José Nunes Viveiros (Zeca do Gás) para vice-prefeito. São 28 candidatos a vereador. "É o momento de discutir o melhor projeto que possa ser, de fato, aplicado à Bertioga. A saúde como um todo, em especial reestruturar a Atenção Básica, com foco na promoção da saúde e prevenção de doenças é fundamental. A educação com ênfase na valorização dos profissionais e acolhimento aos nossos alunos. O turismo, a geração de renda e emprego no segmento e, as melhorias na infraestrutura, devem ser, sem dúvida, prioridades. Também a área da habitação e a área social são essenciais em meus projetos de gestão. Para cada uma dessas áreas, tenho propostas viáveis e que podem transformar Bertioga em referência em nossa região", declarou a candidata.

As chapas únicas, que não participam de coligações, são o Partido Social Liberal (PSL), de Mauro Orlandini; Democracia Cristã (DC), de Kaled Malat; e o Partido Trabalhista Cristão (PTC), do candidato Paulo Cesar. 

O ex-prefeito de Bertioga, Mauro Orlandini (PSL), que ocupou o cargo por três mandatos, por  enquanto é chapa única, ainda não definiu o vice-prefeito e tem 13 candidatos a vereador. No entanto, Orlandini afirmou que a exclusividade da chapa pode mudar nos próximos dias. A chapa recebe o nome de Sorria Bertioga e, segundo o candidato, leva a esperança de voltar a sorrir. "Voltar a viver um tempo em que, com certeza, foi melhor. A prioridade é continuar as coisas que a gente começou, retomar e construir novas. Continuar tratando Bertioga como uma filha querida, compromisso que tenho de alma", afirmou.

O servidor público Kaled Malat é o candidato do DC, junto ao vice-prefeito Antônio Rufino. A chapa Para Mudar de Verdade Kaled Prefeito da Cidade tem 14 candidatos a vereador. “Minha prioridade é acabar com a corrupção, é melhorar a saúde com extrema urgência, entregando a UPA do Vista Linda, os dez leitos de UTI e, também facilitar o ingresso de uma unidade hospitalar na região norte de Bertioga”.

Já o PTC traz o candidato Paulo Cesar e o vice-prefeito Coronel Reinaldo. A chapa Renova Bertioga tem 14 candidatos a vereador. O candidato é advogado e explica: “O PTC Bertioga  vem com a bandeira da renovação. O partido vem se formando há um ano e meio sempre com a filosofia do novo, não buscamos ex-vereadores, nem vereadores com mandato”.

As propagandas eleitorais começam no dia 26 de setembro e as eleições ocorrem em turno único no dia 15 de novembro. Apenas cidades com mais de 200 mil habitantes podem ter possibilidade de segundo turno. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Bertioga tem 44.814 eleitores.

Lista de candidatos a prefeito e vice-prefeito:

Caio Matheus e Marcelo Villares (PSDB);

Silvio Magalhães e Fernando Aguiar (PSB);

Professora Lucélia e Aluisio Bichir (PT);

Lucília Goulart e José Nunes Viveiros (Zeca do Gás) - (PL);

Mauro Orlandini (PSL) - vice-prefeito a definir;

Kaled Malat e Antônio Rufino (DC);

Paulo Cesar e Coronel Reinaldo (PTC).