Sempre polêmico nas redes sociais, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) usou tom de deboche para rebater as acusações de superfaturamento atribuídas ao pai, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), pelo gasto de R$ 15,6 milhões com leite condensado no ano de 2020. O item inclusive é um preferidos na mesa do presidente, que não dispensa o acompanhamento com pão no café da manhã. A polêmica viralizou na manhã de terça-feira, 26, após denúncia da deputada Sâmia Bonfim (PSOL-SP)

Eduardo sugeriu que a oposição está tentando tumultuar o mercado e criar um cenário de instabilidade para as eleições da câmara, procurando motivos para um possível processo de impeachment do presidente. Bolsonaro e aliados apoiam Arthur Lira (PP-AL) para o pleito enquanto o PT e os principais partidos de oposição declararam apoio a Baleia Rossi (MDB-SP).

Participe dos nossos grupos ➤ http://bit.ly/CostaNorteInforma 📲 Informe-se, denuncie! 🔵

“Fizeram um cálculo de que daria para comprar, é verdade, 7.200 latas por dia, só que essa é uma meia verdade. O que eles (oposição) não falaram é que mais de 90% desse valor foi utilizado no Ministério da Defesa, onde só as forças armadas contam com 334 mil homens na ativa entre marinha, exército e aeronáutica”, disse antes de ressaltar a importância calórica do produto.

Além do Ministério da Defesa, os ministérios da Educação, Justiça e Saúde, além da Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias. O relatório das despesas foi publicado pelo próprio governo federal e pode ser acessado no portal da transparência: http://www.portaltransparencia.gov.br/.