Neic de Guarujá recebe grupo indígena para apresentações culturais no dia, 30 | Sistema Costa Norte de Comunicação
|
grupo indígena -  Kaçaseyta
grupo indígena - Kaçaseyta Foto: Divulgação/PMG

Neic de Guarujá recebe grupo indígena para apresentações culturais no dia, 30

No local, será montada oca e feitas apresentações de dança, canto, pinturas faciais e venda de artesanatos

26 de agosto de 2019 Última atualização: 12:12
Por Da Redação
grupo indígena -  Kaçaseyta
grupo indígena - Kaçaseyta Foto: Divulgação/PMG

Foto: Divulgação/PMG

Foto: Divulgação/PMG

grupo indígena -  Kaçaseyta
grupo indígena - Kaçaseyta Foto: Divulgação/PMG

No próximo dia 30, o Núcleo de Educação Infantil Conveniada (Neic) Professor Amaro de Araújo Lima Sobrinho (Rua Iracema, 771 - Enseada) receberá o Projeto Sambyyé Baxó, onde o Grupo Kaçaseyta fará apresentações sobre a cultura indígena para pais e crianças da unidade, a partir das 16 horas.


Participe dos nossos grupos ℹ http://bit.ly/CNAGORA5 🕵‍♂Informe-se, denuncie!


No local, serão feitas apresentações de dança, canto, pinturas faciais, palestra e venda de artesanatos, além de uma oca que será montada. O Projeto é ministrado pelo Pajé e Cacique Kayrrá, da aldeia Kariri Xocó, localizada em Alagoas, e que possui três mil indígenas. Seu maior objetivo é divulgar a cultura e vivência de seu povo pelo Brasil e, por meio do projeto, sustentar sua família.



O Sambyyé Baxó existe há quase 20 anos e desde então viaja o País para apresentações em escolas. Seu nome significa ‘Guerreiro de Verdade’ e sua cultura possui uma vertente musical muito forte, tendo sua maior representatividade no Toré, conjunto de cantos e danças que representam acontecimentos históricos e culturais.


O nome do grupo, Kaçaseyta, significa ‘Conhecimento’ ou ‘Sabedoria’ em sua língua original, e representa a oportunidade que levam para jovens e adultos, de conhecer suas culturas ancestrais, valorizando suas raízes e propagando o respeito ao próximo.



A ideia de convidar o grupo partiu da orientadora pedagógica da unidade, Adriana de Almeida Miki, que encontrou o projeto enquanto navegava pela internet, coincidentemente, no Dia do Índio, 19 de abril.

“É muito importante trazer a cultura para as escolas e creches, não podemos deixar que ela se perca”, contou.

 

Comentários
35382
Últimas Notícias