A prefeitura de Ilhabela vai alugar sete cabines de desinfecção por R$ 1.502.358,03. A informação foi divulgada nesta quarta-feira, 27, no Diário Oficial.

A contratação, por dispensa de licitação, tem como objetivo “o fornecimento de serviço de locação de cabines sanitárias, incluindo produtos sanitizantes, promotores, contador digital, vigilantes e seguro por danos, furto, vandalismo e acidentes”, diz o documento. Não há informações sobre o período de locação. Cada cabine custará R$ 214.622,57 ao município. 

Participe dos nossos grupos ℹ http://bit.ly/CNAGORA3 🕵‍♂Informe-se, denuncie!

A empresa contratada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e do Turismo é a Neobrax, a mesma que instalou, gratuitamente, duas cabines sanitárias em São Sebastião. 

Vale destacar que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não reconhece a efetividade de túneis ou cabines de desinfecção contra o coronavírus.

Para Anvisa, não tem produtos saneantes regulamentados para tal uso e que esses equipamentos não são objeto de regulação dela. A substância usada em duas cabines instaladas em São Sebastião é a clorexidina. 

De acordo com a Neobrax, fabricante dos sais da clorexidina que instalou as cabines na cidade, a substância é um sanitizante e a concentração utilizada na cidade é de 0,2%.

São Sebastião instalou as cabines como corredores de desinfecção em áreas de fluxo constante. Quem passa pelo corredor de desinfecção, recebe a pulverização, que seria eficaz contra bactérias, fungos e alguns tipos de vírus, incluindo a Covid-19.   

Outro lado 

A reportagem do Sistema Costa Norte de Comunicação entrou em contato com a prefeitura de Ilhabela para obter o posicionamento oficial da administração sobre o tema, bem como o período de locação e os locais de instalação das cabines. Até o fechamento desta reportagem (às 17h30) a prefeitura não respondeu. 

Nossa equipe também tentou conversar com a empresa Neobrax, mas os nossos questionamentos não foram respondidos até o final da tarde desta quarta, 27.